Pensamentos Randômicos #2

Esse calor, senhooooor… Para quê tudo isso?

Vejo a moça que eu acompanho no twitter, moradora do Rio Grande do Sul, reclamando (de barriga cheia * cof, cof *), do fato de estarmos em outubro, e ainda estar lá, usando casacos, e eu penso: Justiça. Nesse mundo. Não há.


***


Da janela do “quartinho” (apelido dado por mim ao cômodo onde mora o o computador, os filmes, a câmera, etc…), o que vejo:

O terraço gourmet do prédio vizinho.

‘Tamos aqui, no décimo terceiro andar, e esse prédio vizinho é mais baixo.

Da janela do quartinho é possível acompanhar os churrascos dessas pessoas bonitas, que gostam MUITO de carne.
Sério - praticamente todo fim de semana se grelha uma carninha ali.
Nunca devem ter ouvido aquela história de que X gramas de carne ingerida ficam uma semana apodrecendo no seu organismo até a digestão completa.
Porque, veja bem, eu ouvi isso
E jamais me recuperei.
(Lenda urbana? Talvez.)
(Como carne, mas não sou a maior fã da face da terra; teria dificuldade em interagir com essas pessoas do prédio vizinho.)


***


Recentemente criei vergonha na cara e fiz os pés.
Pela primeira vez.
Em 34 anos nessa indústria vital.
É.
Isso é digno de nota?
Sim.
Falei sobre isso nesse vídeo aqui.
E só queria dizer que, apesar do horror, O HORROR, em que se encontravam meus pés, marquei “mão e pé” pra semana seguinte (não sem antes mostrar a situação periclitante para a manicure, que, coitada, disse, “Naaaah, bobagem, a gente faz, sim, vai ficar bom”.
E me pediu para ficar uma semana sem comer açúcar.
O que a ingestão de açúcar tem a ver (se é que tem) com suas unhas?
Não sei.
'Tá muito quente para procurar no google.
Só sei que obedeci.

Ficou bom.

***


*  Toca o telefone *

- Alô.
- Boa tarde, eu gostaria de falar com a Gláucia? (Jamais entenderei o tom de pergunta nessas frases. Porque, veja bem, "Eu gostaria de falar com a Gláucia?" é uma pergunta que só você pode responder.)
- Eu também.
- Como?
- Vocês ligam 25 vezes por dia me perguntando sobre a Gláucia, e eu já falei milhões, MILHÕES de vezes que não existe essa pessoa, com esse nome, aqui, na minha residência. Eu também gostaria de falar com ela. Estou curiosa.
- Ah, obrigada. * desliga *

E tão certo quanto o sol, que há de brilhar (e fritar) amanhã, Gláucia será procurada de novo. 
No nosso telefone.


12 comentários:

  1. Ai, faz sempre. Também escrevo, só tenho vergonha de publicar.

    ResponderExcluir
  2. Olá Tati, adoro seus textos, talvez isso ajude:

    http://www.senhortanquinho.com/carne-vermelha-8-mitos/
    http://emagrecerdevez.com/5-mitos-do-vegetarianismo

    Não sou nenhuma defensora dos carnívoros, ao contrário, tenho muita vontade de me tornar vegan.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei! É muito interessante a gente ficar sabendo o tantão de pensamentos aleatórios que se passam na cabeça das pessoas...Lendo, não me sinto só neste mundo! ;)

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito!!
    Escreve mais pra gente, sempre!!

    (e ah, o vídeo não ta linkando :/ )

    ResponderExcluir
  5. Que texto ótimo, divertido. Gostei muito dessa ideia diferente... (Ah, e o vídeo não está linkando/2 :/)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tchê tu só gosta de calor por que tem frio e quem tem calor quer um pouco de frio e aquela velha historia da grama do vizinho.;)

      Eu não estou cansada de frio não, praia e para quem tem tempo e grana ou para quem mora e vive dela. Ter que aguentar o calor de 35 com sensação de 40 graus emanando do asfalto e o inferno na terra. E no RS só temos duas estacoes inverno e inferno.

      Excluir
  7. Sobre o calor, nada é pior do que agosto e setembro em SC; onde metade do dia é frio e a outra metade é calor. Realmente não faz sentido algum.

    ResponderExcluir
  8. Amei esse tipo de texto. Faz mais, por favor.

    ResponderExcluir
  9. Posta mais, please! Amei seus pensamentos randomicos rsrs

    ResponderExcluir
  10. Tati, já adorava seus vídeos agora escrevendo então, Meu Deus!!!!!! Amei! Bjocas M@bella

    ResponderExcluir

<< >>