Diários de leitura: a volta dos que não foram

Eis o retorno dos Mini Vlogs como deveriam ser: diários de leitura como complemento de postagens aqui no blog ;)

Yay.
Sim.

A partir de agora, os Mini Vlogs não estarão mais disponíveis no canal.
Apenas aqui, no blog! \o/

Bem, comecemos os trabalhos.

Estou lendo Deuses Americanos.
Do Neil Gaiman.
De novo.
Segunda tentativa.

Dessa vez, seguindo a sugestão do pessoal que acompanha o canal no youtube, resolvi tentar de novo, em inglês.
Além das sugestões, resolvi pegar esse livro de novo para ler durante o All About Gaiman (especial que está rolando no canal da May [é só clicar para ver o vídeo explicativo ;) ] ).

Com muita fé.

Mas hein, a primeira tentativa.

Lembro de ter comprado esse livro, em, quê, 2009, 2010, logo depois de ter lido Lugar Nenhum (até então, pior livro do NG da vida - sei que muita gente adora, mas eu, sinceramente, não sei por quê. Para ver meu parecer sobre esse livro, bem, taí o link :)
Nos comentários do vídeo em que comentei sobre essa leitura frustrada (frustrante?), muita gente me recomendou "A Obra Prima do Gaiman" - Deuses americanos.

Ok, eu já tinha lido Sandman, e pensei "minhanossassenhora, isso deve ser bom."

Comprei.
Edição tosca, capa estranha, diagramação tenebrosa (letras miudinhas, espaçamento inexistente, economia de papel e tinta de impressão).
Não vou comentar sobre tradução/revisão, porque - desisti no primeiro capítulo.
Naquele momento em que , você aí que leu o livro deve se lembrar, aquela deusa/prostituta pede pro rapaz adorá-la durante o ato...

A vida é muito curta.

Passei o livro adiante.

E deveria ter terminado por aí minha história com Deuses americanos, mas nãaaao... lá vai Tatiana de novo.

Edição de 10 anos de aniversário, texto "sem cortes", e... bem, veja o vídeo...




PS: Meu amigo Bruno deixou comentário na minha foto do instagram, dizendo que esse livro foi o strike 2 do Neil Gaiman pra ele, e que nunca mais passou perto de NG.
Bem, esse também foi meu strike 2.
Se eu não tivesse lido Sandman, Livro de cemitério, e outras coisas antes dos strikes, talvez também tivesse desistido... hm...

13 comentários:

  1. Concordo. Chato e decepcionante. Existem, sim, parte muito boas, que acabam perdendo seu brilho em meio a um mar de capítulos insossos. Extremamente supervalorizado.

    ResponderExcluir
  2. Boa sorte, se vc vai continuar rsrs
    Pq eu tentei uma vez e foi mais do que suficiente pra abandonar (coisa que não fazia há anos) e não ter o mínimo interesse em voltar :/

    ResponderExcluir
  3. Eu li agora pouco essa mesma parte que você citou (ele comendo frango, desfiando o frango pra gata, etc) e não entendo porque ele coloca tanta coisa desnecessária.

    Esse é o primeiro livro do Gaiman que eu leio, e não vou dizer que estou achando um porre, porque tem umas coisas que gostei bastante até o momento, mas quando leio coisas como essa, que você citou, eu paro um tempo e tento entender porque ele colocou aquilo, não chego a nenhuma conclusão e volto a ler.

    Espero que a tal tempestade valha a pena!

    ResponderExcluir
  4. A vida é muito curta Tati, deixa isso de lado. Você tentou!

    ResponderExcluir
  5. Tive o mesmo sofrimento q vc, não cheguei a largar o livro, mas sofri nessa leitura. Historia não tão interessante, final meio obvio e um dos piores protagonistas da vida, cara chato

    ResponderExcluir
  6. Não li esse livro em particular, mas sofri com O Oceano no Fim do Caminho, do Gaiman também. Fizeram muita propaganda do trabalho dele, e eu conheci um pouco sobre ele porque ele fez o roteiro de alguns episódios de Doctor Who, então fui ler esse livro.
    Nunca consegui terminar e achei o modo dele te escrever tão comum que não entendi porque veneram tanto ele. Pensando ainda se dou uma segunda chance ou não.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou fã do Gaiman desde a década de 90, quando li Sandman, claro. Depois li vários quadrinhos e livros dele, e compro e coleciono as obras (tou com vários ainda por ler na prateleira, mas já li muita coisa também). Na época que lançou lá fora, importei esse aí na Amazon, com capa dura, um trambolho gigante e comecei a ler. Parei lá pela página 50. Até hoje, anos depois, ainda não voltei a tocar nele pra leitura, só pra tirar o pó. Foi o único livro dele, até hoje, em que isso aconteceu. Mas pretendo nas próximas férias, no fim do ano, também tentar recomeçar a leitura e ver se termino, até pra poder ler Anansi Boys, que tem relação com American Gods, mas amigos que leram me disseram ser melhor, e também está pegando pó na prateleira. Achei chato também.

    E eu gostei de Neverwhere, em inglês. Achei que na tradução se perdeu muito da graça, dos trocadilhos e referências. Tem coisas nele que só funcionam no original, e não acho que a tradução foi ruim, de jeito algum. Só não funcionou praquela história, que surgiu inicialmente como um roteiro que virou mini-serie da BBC (gostaria de assistir, dizem ser muito bom, mas não achei ainda). Em termos de livros, estou amando o Graveyard Book, amei Coraline, Sandman Book of Dreams, Dream Hunters.

    E recomendo MUITO os quadrinhos de Black Orchid, Signal to Noise, Murder Misteries (tenho mais quadrinhos dele além de Sandman, mas não os li ainda). Signal to Noise vai ser meio chato pra alguns, é uma obra mais pesada, com temas mais filosóficos, mas é muito bom. Tem quem não goste também da arte do Dave McKean, mas eu gosto muito.

    No geral, prefiro ler, sempre que possível, os trabalhos dele em inglês, mesmo. Por melhores que sejam as traduções, sempre tem coisas que se perdem e diminuem um pouco a graça. Belas Maldições é outro que adoro, acho muito engraçado, mas em português não achei a mesma graça que em inglês. Só Deuses Americanos que pelo jeito continua chato mesmo no original, não é só questão de algumas coisas se perderem naturalmente na tradução.

    ResponderExcluir
  8. Nunca tinha lido Neil Gaiman. Resolvi começar pra participar do projeto All About Gaiman e escolhi The Graveyard Book. Ainda bem que esta foi a minha primeira escolha porque amei e quero ler outras coisas dele antes de entrar no mundo de Sandman

    ResponderExcluir
  9. Rsrs. Deuses Americanos foi o meu primeiro livro do Neil Gailman. Fiquei assustada. Falavam muito bem dele e achei uma leitura dificil e arrastada. No final, fiquei curiosa para ler mais por achar o livro surpreendente de tão doido. Sandman ta na minha lista por tanto que a Tati fala bem. Bjoka

    ResponderExcluir
  10. Tati, você poderia fazer os minivlogs no Snap, fazendo seus comentários rápidos sobre as leituras.

    ResponderExcluir
  11. poxa Tati descobri agora que vc tem blog kkkk,sou atrasada mesmo. adorei vou entrar sempre que puder. sucesso.

    ResponderExcluir

<< >>