2014/2015 – As metas e promessas (por Hpcharles)


Todo fim de ano é a mesma coisa, os blogs, vlogs e os comentários nas mais variadas redes sociais tendem a fazer uma análise de suas metas conquistadas(ou não), no ano que vai se encerrando, passando, logo em seguida, a descortinar as fatídicas promessas para o ano vindouro. Eu confesso que vejo e leio tudo aquilo com alguma credulidade, vez que sinto sinceridade e desejo de sucesso naquelas palavras e vídeos. Ao mesmo tempo, me deprimo um pouco. E não poderia ser diferente, pois tais desígnios apenas atestam minha incapacidade como ser humano e confirmam a minha inabilidade em me comprometer com projetos audaciosos.
Senão vejamos.
Eis alguns comentários consignando metas que li e ouvi, mais de uma vez, para meu absoluto assombro...
“Esse ano serei feliz!”
Oh, really?! Por que diabos não pensei nisso antes? Sim, por que não me comprometi com algo tão trivial em todas as décadas que se passaram? Bom, talvez porque A PORRA DA VIDA SEJA DIFÍCIL PRA CARALHO! E porque felicidade é uma questão de momento. Ela vem e ela vai. Simples assim.
“Esse ano comprarei menos”.
Ok, essa eu entendo. MAS O QUÊ?! Feijão? Cachaça? Camisetas (ao longo dos 10 últimos anos essa promessa não incluiu roupas. Lógico!) Gadgets que você NÃO PRECISA, mas quer?! Por favor, quando for tornar pública uma meta de vida tão arbitrária quanto previsão de cartomante, tente ser pelo menos um pouco mais específico. Isso é roubar nas metas. Não vale, ok?
“Esse ano vou emagrecer”.
Mesmíssima merda. Quanto? Acho razoável e justíssimo cobrar uma média, não é mesmo? Se forem duzentos gramas cumpro logo hoje, depois da sauna. Vamos parar com a apelação!
“Esse ano serei mais paciente, educado, gentil com familiares e nas redes sociais”.
Taí uma meta bacanuda! Eu me engajaria nessa junto com a galera. É claro que é preciso se considerar na equação, os crentelhos, os gênios políticos do mundo virtual, os silvícolas e trolls que “abundam” nossa querida internet. É preciso lembrar também que um esforço espartano será necessário para deixarmos de lado - ou pelo menos diminuirmos - a mania vagabunda que temos de descontar todas as nossas frustrações cotiadianas e bateções de pezinho, oriundas de nossa infância mal resolvida, em nossos pais, esposas/maridos, namoradas/namorados, noivas/noivos, filhos, porteiro, filhos do porteiro ou no cara que demorou para acelerar quando o sinal abriu. Isso porque é mais fácil ser um bebezão supersensível do que tentar ser mais paciente e justo. Assumir responsabilidade é sempre mais complicado do que repartir a culpa.
“Esse ano lerei 257 livros, verei 4098 filmes (fora as séries) e beberei menos”.
Acredito na parte dos livros e filmes :)
Agora, afeto à realidade, como sou...notem as MINHAS metas para 2014 e percebam porque posso ser cunhado de incompetente mas nunca de hipócrita. Botei o chapéu onde a mão alcança! E “mifu! Não adiantou porra nenhuma e falhei miseravelmente.
1 – Jurei que não ia mais jogar o controle remoto da televisão na parede (ou qualquer outro objeto ao meu alcance), todas as vezes em que o Luiz Antônio ou o Muralha (pretensos jogadores do Flamengo, para quem vive em Marte ou então não fecha com o certo e não torce para o Mengão, papaizão, doutrinador de antis), errassem mais um passe de dois metros.
Lógico que não consegui. Mas é o Luiz Antônio e o Muralha. Se tivesse me comprometido com a paz entre Israel e a Palestina, teria mais chance de sucesso.
2 – Falaria menos palavrão. Lógico que não consegui, “a revanche”. Mas a culpa é toda do Luiz Antônio e do Muralha, aqueles pernetas filhos da puta do caralho!
3 – Treinaria escalas na guitarra pelo menos 4 vezes por semana, mas com o metrônomo. Cumpri pela metade. Metrônomo é chato bagaraio.
4 – Beberia menos. Precisa responder? “gulp...”
5 – Seria mais paciente com os meus, ao menos. Bom, já tinha me referido a isso. Acho uma meta possível e legal demais. Penso que consegui. Tendo em vista o huno que era, o visigodo que fui um dia, melhorei do vômito para o vinho. Escorrego, é um trabalho em construção, mas acredito realmente que melhorei.
Nota: Se o Luiz Antônio e o Muralha forem negociados ao fim desse ano, em 2015 tenho grandes chances de me tornar um monge budista. E pelo que dizem, deus é pai, não é padastro.
Agora tio HP vai passar uma lição de vida inestimável, que foi exatamente o que fez com que pessoas como Bill Gates sejam o que são. Prestem atenção! Todas as vezes em você se impuser metas que exijam mais de você do que você conseguiu, não se esforce mais. Simplesmente reduza suas metas e aceite sua insignificância.
Por isso mesmo reduzi minhas metas para 2015, de 5 para 3. Vamos a elas, porque aqui o bagulho é sério.
1 – Não vou mais jogar o controle remoto da televisão todas as vezes em que o Luiz Antônio ou o Muralha entrarem em campo.
Tô de sacanagem com vocês! Não vou cometer o mesmo erro duas vezes, não é mesmo? O que preciso é encontrar uma autorizada que venda controles a preço de custo. Serão duas metas para o ano que vem e olhe lá. Viu como sou bom no que proponho? Nem começou o ano e já matei uma meta.
2 – Lerei Finnegans Wake no original.
3 – Abaixarei a tampa do vaso.

Quanto à minha meta referente à leitura, 100% de vocês cagaram um quilo certo, óbvio. Não poderiam ligar menos e eu que me foda com a minha "polidez". Agora...quanto a abaixar a tampa do vaso...
Bom, aí os sentimentos são difusos e me parece razoável que a questão de gênero seja inclusa na percepção de tamanha empreitada.
As mulheres diriam:
“É sempre assim, os bons já estão comprometidos.”
“Se acertar a regência verbal e abaixar a tampa do vaso, é um príncipe na terra. Simples assim”.
“Vou compartilhar esse texto com a porra do meu marido para ele aprender o que é uma meta de vida!”
“Podia até ser anão, tudo o que eu sempre quis foi um homem que abaixasse a tampa do vaso. Meu pai de santo pode confirmar”.
“Querido, o problema não é desejo, é mira. Mas boa sorte assim mesmo. Alguém tem que conseguir, pode ser você. Eu não ligo pra isso, de verdade...e meu telefone é o...”
Os homens:
“Traidor! Isso é um maníaco, um tarado! Em um país mais sério estaria preso!"
“Qual é o endereço desse filho da puta?!”
“Hahahaha, esse lixo tá pensando que vai mudar a evolução em um ano? Só falta esse merda dizer que não vai deixar a toalha molhada em cima da cama. Bolsonaro 2018!"
“Cancelando a inscrição nesse blog agora, porque se minha mulher vir essa porra terei que prometer a mesma coisa que esse lunático. Eu não preciso disso na minha vida. Adeus!"
“É viado”.
Pois é gente, feliz Natal e um esplêndido 2015 para vocês. Espero do fundo coração, agora sem brincadeiras, que vocês conquistem o mundo, no ano que chega. Que sejam mais humanos, mais participativos, que leiam mais livros interessantes, vejam mais filmes relevantes, que sejam MAIS FELIZES, SIM! Porque a felicidade está na procura e não no achado. Porque é na busca que ela se torna própria e genuína, mesmo que momentânea. E porque é melhor estar feliz do que não estar. Não choramos porque estamos tristes, estamos tristes porque choramos. Acredito nessa filosofia. E acredito que podemos vencer o mundo se a tarefa de vencê-lo for comungada, dividida, sem preconceitos ou exclusões. Essa é a única meta que realmente deveríamos perseguir. Todas as outras são secundárias porque viriam na esteira da primeira. A vida é curtíssima. Amem mais.
E obrigado por aturarem a gente durante esse ano.
Grande abç!
PS.: Luiz Antônio e Muralha estão excluídos do meu “posfácio”. Que se fodam esses ceguetas de merda que não acertam o gol nem por decreto. Tomara que as esposas dessas nulidades futebolísticas leiam esse texto e os mande treinar a mira no vaso. Aí eu quero ver, motherfuckers! Payback is a bitch!

7 comentários:

  1. Cara lendo seus texto, só posso pensar que vc e a Tati são um dos casais mais incríveis da web

    ResponderExcluir
  2. Haha, muito bom!
    Desejo o mesmo para você e os seus, esperando que todos que lerem também consigam pôr em prática algumas coisas escritas aí.
    Boas mudanças a todo mundo.

    ResponderExcluir
  3. Não sei se conseguirei abaixar a tampa do vaso em 2015. É algo acima de minha capacidade rs
    HP, desejo a você, sua esposa e suas famílias um incrível 2015. E que eu finalmente consiga acompanhar o ritmos frenético de leituras da senhora sua esposa. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Minha meta principal pra 2015 é:

    - ser menos trouxa ("deixar de ser" eu sei que não será possível, então ser menos já ajuda).
    XD
    hahahahahahah!

    ResponderExcluir
  5. Eu estava lendo isso no transporte público, então imagina eu gargalhando e o povo me olhando??? hehehe Boas Festas para vocês!!!

    ResponderExcluir
  6. Happy New Year para todos!
    Gabriel Birkhann

    ResponderExcluir
  7. Minha meta para 2015 e não fazer porcaria de meta nenhuma. Na verdade, tenho uma: comprar uma cama nova. A minha já tem 9 anos e é é de madeira compensada das casas bahia... e toda vez que arrasto a bendita pra limpar ela desmonta. E eu não consigo ficar sem arrastar a cama pra limpar. Ok, acabei de criar uma meta: não arrastar a cama, que é bem compatível com a sua de abaixar a tampa do vaso. Feliz 2015 pra vcs!! Adoro muito!! <3 Bjoo!

    ResponderExcluir

<< >>