Livro do dia #1: Deus Um Delírio – Richard Dawkins* (The God delusion, 2006)






Livro escrito em 2006 e editado pela Cia das Letras em 2009, Deus um Delírio é composto por tapas na cara, assim, um atrás do outro.

Com uma escrita bastante acessível, o autor vai desenvolvendo extensamente assuntos como o respeito exagerado (e muitas vezes, infundado) à religião/religiosos,  o agnosticismo (que segundo ele é por vezes pior do que a religiosidade, visto que o agnóstico vive em cima do muro...),  discute a hipótese da existência de deus, explica as raízes da religião e da moralidade por medo ou desejo de recompensa,  expõe algumas atrocidades contidas na bíblia e como certos grupos religiosos ainda as colocam em prática, esfrega o absurdo da doutrinação de crianças na sua cara, expões o quão ridícula é a “falácia do Beethoven”, explica mais uma vez (vamos lá, de novo, gente!) o darwinismo e encerra nos questionando se é realmente necessário preencher o “vazio existencial”com crenças/religiosidade.

Eu, na condição de agnóstica, fiquei por vezes envergonhada da minha capacidade de acreditar e levar/ ou já ter levado a sério certas crenças ao longo da leitura...  Sim, eu reconheço que fico em cima do muro, mas, e se eu for um Humpty- Dumpty? E se a Alice aparecer, me convencer a sair do muro e na queda eu me quebrar? Portanto, tá, Dawkins, dá cá a mão que ‘tou pelo menos colocando o pézinho no ateísmo (certas coisas levam tempo...).



*vídeo no canal com promoção em breve ;)

81 comentários:

  1. Gostei, esse livro já esta na minha lista de livros para ler em 2013. Achava que você era ateísta, não agnóstica ! Parabéns pela critica !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nope, sou agnóstica com um pé lá e outro cá. 'brigada pelo feedback ;)

      Excluir
  2. Desde que você comentou sobre Deus não é grande,fiquei cada vez mais animada pra ler livros com esse assunto e também desse autor,infelizmente os livros dele não são muito baratos,mas estão na minha meta de leitura de 2013 :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, li teu comentário e fui correndo a estante virtual - e nao é que mesmo em sebos esse livro nao sai por menos de 49 reais? que estranho... bom, de qualquer forma, vou fazer um sorteio de um exemplar no canal do youtube semana que vem - nao esquece de deixar teu nome ;)

      Excluir
    2. Pois é... sem dúvidas vou participar do sorteio,participei do Deus não é grande,mas não ganhei,quem sabe essa não é a minha chance né :D

      Excluir
  3. Tati, não vejo o agnosticismo como viver em cima do muro...vejo como pessoas que não tem a certeza que algo que não lhes foi provado. Não é motivo de vergonha nenhuma, é uma questão de evitar erros e arriscar (ou se quebrar, rs). Mas é claro que eu como agnóstico estou disposto a mudar de opinião a qualquer momento quando isso me convier, como você bem disse, certas coisas levam tempo...
    E adorei essa relação com a histórinha do Humpty-Dumpty =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom, eu nao sou tão disposta assim a mudar de opinião...
      preciso que me expliquem a certas coisas mil vezes e vou digerindo aos poucos...
      bom, obrigada pelo feedback ;)

      Excluir
  4. Só para esclarecer uma confusão que MUITAS pessoas fazem. Agnosticismo e Ateísmo NÃO SÃO EXCLUDENTES!
    Gnosticismo ou Agnosticismo possuem relação com o que se SABE OU NÃO SE SABE.
    Teísmo ou Ateísmo possuem relação com o que se CRÊ OU NÃO SE CRÊ.
    Portanto é possível ser agnóstico e ateu. Ele não "sabe" se deus existe e não "crê" que deus existe, vez que é evidente a diferença entre saber e crer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem pertinente! Eu ia fazer um comentário a respeito mas vc já falou tudo e muito melhor do que eu... com certeza eu iria me enrolar rsr

      Excluir
  5. Como chama essas 'linguinhas coloridas' que você cola ao longo do livro? E porquê faz isso, qual o critério de marcação, e em qual posição você marca [bem em cima da frase, em baixo, ao lado etc]?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, guilherme. são post its e os uso para marcar passagens que julgo importantes.

      Excluir
  6. Destrocei este livro Tati, Quero logo que possível ler novamente, Passei deste para (Deus não é grande) E agora estou lendo (A Morte da Fé) Na sequencia (A origem das Especies) Sou como Richard Dawkins Ateu, Mas respeito os irmãos agnósticos, A palavra Deus foi criada pelo homem, Imagina substituirmos pela palavra diabo nos dias de hoje, Creio que ninguém faria questão de acreditar KKKK Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco, é importante não cometermos um erro técnico aqui e nos posicionarmos apenas como ateus. Apesar de alguns entendimentos em contrário, me parece que todos, crentes ou descrentes, seriam, em síntese apertada, também agnósticos. Ou alguém, com apego ao melhor vernáculo poderia dizer que "SABE OU NÃO SABE" que deus existe. Sim, pq quem fizer isso, deveria ser capaz de demonstrar como sabe ou como não sabe. Positivamente isso se faria através de evidências (são péssimas) ou provas (não existe nenhuma), e negativamente é muito complicado de fazer, mesmo filosoficamente(provas negativas impenderiam uma discussão muito extensa).
      Nesse diapasão me considero ateu E agnóstico.
      1 abç

      Excluir
    2. pura questão semântica, não?
      trocar deus por diabo, digo...
      eu, por exemplo, gosto de chamar "forças desconhecidas" de "deus"(como poderia chamar de... "lápis"...), mas o enxerido do HP que comentou aqui sem ser convidado,rs, diz que não posso.
      mas ele ainda nao me convenceu ;)

      Excluir
    3. Sim trocar deus pelo diabo nessa discussão é o mesmo que trocar um kilo de bosta por um kilo de merda. Vc tem razão Tati. E sim, vc pode chamar de "força desconhecida". Desde que vc defina o que seria tal força e suas características.

      Excluir
    4. É que as pessoas atribuem toda a causa criação, Como um ato de algo bom, algo maravilhoso, E pode não ser nada disto, Pode ser como o HP falou mesmo, uma merda, Uma bosta, Força desconhecida como disse a Tati, Mas uma força desconhecida maligna, Pois se confirma dadas as vidas extintas ao passar dos milênios, E nós poderemos ser os próximos certamente, Mas pensar desta forma tem que ter uma certa coragem de encarar a grande realidade,Dai a minha grande admiração pelo nosso saudoso Christopher Hitchens.

      Excluir
    5. Maroc o grande problema começa no início do raciocínio. Normalmente se pergunta "quem" criou, quando o correto seria "o quê" criou. Pense sobre isso...

      Excluir
    6. Tu viste o video que te enviei por MP no Youtube?

      Excluir
    7. Você esta completamente certo,é bem mais sensato perguntarmos o que criou, MAS HÁ HPX.

      Excluir
  7. Tati ... te aconselho a ver esse debate entre o autor do livro desse livro e um cristão. Bem legal e esclarecedor.

    http://www.youtube.com/watch?v=YLSGAwwyq0U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou ver, sim, helder, 'brigada pela dica ;)

      Excluir
  8. Dawkins recentemente fez uma declaração que gerou bastante surpresa. Ele se declarou agnóstico, embora em sua principal obra ele se declare um ateu da "mais alta escala possível".

    http://designinteligente.blogspot.com.br/2012/02/dawkins-diz-que-e-agnostico.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é bobagem. Veja a entrevista dele no programa do Bill Maher onde ele explica claramente seu entendimento sobre o assunto. Entenda que, AGNOSTICISMO E ATEÍSMO NÃO SÃO EXCLUDENTES. Leia os comentários onde explico isso pela enésima vez, porque se trata de algo que a maioria das pessoas não entendem.
      1 abç.

      Excluir
    2. Vou dar uma olhada na entrevista. Li um texto extremamente interessante quanto a essa questão. :

      http://ocontornodasombra.blogspot.com.br/2012/02/agnosticismo-de-dawkins-e-mesmo.html

      Excluir
    3. Bom, fui lá e li artigo. Não foi surpresa nenhuma me deparar com um blog apologético. Claro que ele distorceu tudo e não considerou justamente o que aduzi. Dawkins explica claramente seu posicionamento em várias oportunidades.
      Olhe a desonestidade intelectual do artigo: "Assim, Dawkins não se considera no ponto 7 de sua escala, por que ele acha difícil que alguém possa estar neste ponto. Para ele, o ponto 7 revela uma fé igual àquela existente no ponto 1 de sua escala. E se ele está se colocando como 6,9, então ele está aproximando-se o máximo possível deste ponto 7, sem no entanto fazê-lo, já que para isto ele teria que admitir que possui fé em alguma coisa."

      NÃO! Dawkins não disse isso. O que ele quis dizer é que se ele se considerasse na escala 7,0 ele deveria ser capaz de provar a "inexistência" de deus. Como isso não é possível (assim como da Cuca e do Saci), e ele é honesto o suficiente para admitir isso, ao contrário da grande maioria dos teístas, ele prefere dizer que é agnóstico.
      Ele é ateu E agnóstico.
      Novamente. Saber e crer são coisas diferentes e portanto ateísmo não se confunde com agnosticismo. Simples.
      Cara, fuja de sites de pregação. As moscas mudam, mas a merda é a mesma.
      1 abç.

      Excluir
  9. Adorei a resenha e antes mesmo de ter a iniciativa de ler o livro, já aparece uma pontinha de indecisão quanto o assunto e voltado a religião. Mas o que importa é o respeito que temos que ter uns com os outros. Abraços e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho importante ler de tudo nessa vida... mesmo quando o assunto nos incomoda...
      ;)

      Excluir
    2. Tati, sou como vc acho legal ler de tudo...
      Pelo menos 2 dele quero ler e Deus um Delírio agora vai ficar comodo p/ mim, sinceramente não queria ter ele em casa ta no meu Kindler. (rsrs)
      Falando sério, fico impressionada c/ duas coisas que li que ele disse quando estava bem doente, que "sentia muito sair cedo da festa". Primeiro li que ele morreu c/ 62 depois li 68 mesmo assim cedo mesmo.
      Tem mais uma coisa nada a ver mais sei lá, no outro livro dele (sobre sua doença) que comecei a ler, ele diz sobre a voz que perdeu e como se orgulhava de fazer discurso e que todos ouviam muito bem no fundo do auditório mesmo sem microfone...
      Sei lá, ter uma convicção tão forte assim... a religião tole sim, oprimi muitas vezes, agora se Deus existe é difícil saber e que Ele não existe difícil tb...
      Meu problema é confiar e acreditar nas pessoas. (rsr)
      Bjk

      Excluir
    3. Ahm... Carol, cê não tá confundindo o Dawkins com o Hitchens, não?...

      Excluir
    4. Tati,
      bem a minha cara confundi mesmo kkkk.
      Desculpa ai é melhor eu ler os livros né?!
      Bjk
      Desculpa!

      Excluir
  10. Também li este ano e achei muito bom! Também fiquei incomodada porque nunca tinha pensado nas consequências políticas de ser agnóstica, não se posicionar, etc etc. Ao mesmo tempo não resolvi comigo mesma se concordo com as posições dele de ser contra as religiões e não ensinar as crianças a ter uma religião. Não faria isso com meus filhos, mas as religiões dão conforto para muita gente. Enfim, leva tempo para se resolver com essas questões,como você mesmo disse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas existe um preço altíssimo para esse conforto, não acha? Leia o texto anterior do blog.

      1abç.

      Excluir
    2. É... o preço é alto mesmo... mas é um assunto muito complicado... Esse lance de conforto é a maior justificativa que vejo. Falo isso pois meus pais são muito religiosos e quando meu irmão sofreu um acidente e morreu, não sei o que seria deles sem o tal "conforto" que a religião deu prá eles. Veja bem, não estou defendendo nenhuma parte... só estou dizendo que aceitar/seguir uma religião para ter o "conforto" é muito comum. (Isa - LidoLendo)

      Excluir
    3. Sim, eu entendo exatamente onde vc quer chegar. O problema Isa é que existem consequências para esse conforto. Algumas delas foram abordadas no texto acima, mas poderia passar o dia enumerando outras.
      Frequentemente esse "conforto" possui outros valores e condições agregadas. Te dou um exemplo. Certa vez em uma igreja, vi um travesti que chegou muito machucado e desesperado. Ele foi muito bem recebido e teve um cuidado com o qual não deveria estar acostumado. Pois bem, foi só ele melhorar um pouco que já começaram a lhe dizer que "aquilo era pecado", "que deus não concordava com a sua homossexualidade" e por aí foi. O que é preciso entender é que a religião É DOGMÁTICA. Ela não permite discussões dentro da "palavra", vez que a mesma supostamente, possui inspiração divina. Creio que devemos obter conforto na verdade, por pior que ela seja. Mas isso sou eu. 1 grande abç.

      Excluir
  11. Eu pretendo adquirir o livro, pois gosto desses assuntos. Depois disso a gente passa a refletir muito mais sobre determinados assuntos... Ah, HP, esqueci de elogiar o seu brilhante texto anterior. Congratulations: D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Geyse. Mais tarde subirá um video aqui no blog. Tive que abrir uma conta no Vimeo pois no Youtube os fanáticos já derrubaram 5 vezes. Sabe como é, né? Esse pessoal não curte ouvir certas coisas...
      1 abç.

      Excluir
    2. Puta que pariu! conta no Vimeo, Não vou nem comentar.

      Excluir
  12. Sério? mais de novo? aff Existem coisas piores soltas por ai no youtube, tanta pornografia, tanta imoralidade, enquanto a um assunto que deveria ser mais discutido acontece isso. Uma pergunta, você se interessa pela história de Hitler, o qual envolve a segunda guerra mundial? Se sim, ficaria muito grata se me indicasse livros ou filmes que falam do assunto. Ajudaria muito em um trabalho que estou desenvolvendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a velha religião Geyse, que odeia ser contrariada...
      Sim gosto, inclusive a Tati está lendo um livro que emprestei a ela sobre o assunto que é o "Hitler" do Joachim Fest, que é uma biografia ótima do "bigodinho". Pode ir nesse que é bom. Futuramente ela fará um video sobre esse livro (tenho quase certeza).

      Excluir
  13. gostaria muito de ler esses tipos de livros, principalmente o "amarelão" do Hitchens. Mas, né... Como fazer isso cercado de religiosos fervorosos? Quem sabe, um dia, mais tarde... :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ir no do Hitchens que é muito bom. Tente encontrar o que ele escreveu sobre a Madre Teresa de Calcutá que é foda. Mas só existe em inglês.
      Vc está cercado de religiosos fervorosos? Lamento por vc, cara. Mas aqui vc sempre poderá dar a sua opinião e discutir esse assunto. Espero que vc consiga sair disso e ler o que te interessar, sem limitações.

      1 abç.

      Excluir
  14. Uow, não conhecia o livro!
    Anotei o título aqui, quem sabe eu o possa ler num futuro bem próximo.

    Beigos!

    ResponderExcluir
  15. Já faz algum tempo que li este livro - mais ou menos 2 anos, e ainda me lembro das frases eloquentes escritas por Dawkins no decorrer dos capítulos. Típico exemplar que encoraja os ateus a saírem do armário, se é que me entende. Quando acabei de ler o livro fiquei pensando: "O que? Como é possível acreditar nisso? Eu realmente acreditava nisso? Como me deixei levar por tudo isso tão facilmente?". Um livro igualmente bom do Dawkins é 'O Capelão do Diabo', que é composto por ensaios do autor sobre darwinismo, ética, religião, educação, justiça, ciência e textos pessoais. Enfim! Acho que acabei falando mais do que o pretendido!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente acho o "Capelão do diabo" melhor do que "Deus um delírio".

      1 abç.

      Excluir
  16. oi Tati
    Já leu algum outro livro do Dawkins? Virei fã ao ler "Escalada ao monte improvável". Quando terminei, comecei a comprar (e ler) quase todos de sua autoria.
    Posso afirmar, sem qualquer dúvida, que foram os livros dele e de Carl Sagan que sedimentaram meu ateísmo e que me "forneceram" a melhor argumentação a favor dele. Apesar de preferir ficar na minha, pois não sou de ficar levantando bandeiras, é sempre bom estar preparada :-)
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digo o mesmo, depois de ler três livros de Dawkins, é que pude afirmar meu ateísmo com maior argumentação - como você disse. Não cheguei a ler nenhum livro de Sagan, mas ouvi dizer que são tão bons quanto os de Dawkins. Há vários outros autores bons, mas acredito que o tema torna-se exaustivo para o leitor após certo tempo, por isso é bom mudar de gênero de vez em quando, afinal de contas, o que não falta são livros bons a serem lidos.

      Excluir
    2. Igor,
      Se for ler Sagan, sugiro q comece com "O mundo assombrado pelos demônios". É uma coletânea de textos falando sobre pseudo-ciência, ceticismo, desmistificação de crenças, método científico, entre outros assuntos.
      Vale muito a leitura.

      Excluir
    3. Era exatamente este que eu estava em mente, mas valeu pela dica!

      Excluir
  17. Comprei esse livro no ano passado está na minha lista dos "12 livros para 2013" espero conseguir ler em breve. Conheci o Dawkins através de uns vídeos no youtube... Só depois de um tempo me deparei com esse livro no skoob e relacionei os vídeos a ele. Assim como você tenho um pé lá e outro cá. Sempre que posso leio algo a respeito (não necessariamente livros) pra quem sabe um dia descobrir """"em qual lado"""" me encaixo.

    Beijos, Tati!
    — Amanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você for uma pessoa com mente aberta a leitura vai ser bem interessante e proveitosa. Pelo menos foi o que eu achei quando terminei de ler o exemplar em questão.

      Tati! Desculpa por estar comentando demais!

      Excluir
  18. Olá Tatiana ... bem eu li deus não é Grande e foi como tomar um soco de mão fechada na cara, sério, rs. Não o li de maneira rápida ... tive que "digerir" toda "podridão aos poucos". Todos deveriam ler esse livro, contudo, o livro do Richard Dawkins está na minha lista para 2013. Seriosly! Kisses, darling!!

    ResponderExcluir
  19. Acho que acreditar conforta, a fé trás as pessoas esperança e ao mesmo tempo uma certa ausência de responsabilidade, já que acreditam que Deus é responsável por tudo, que tudo já estava escrito, onde está a nossa responsabilidade nos nossos atos?
    Acredito que pensar na existência de um Deus que cuida de tudo tás alivio e segurança, um alguém pra correr quando as coisas apertam, alguém pra culpar ou agradecer.
    Acho bonito o sentimento de fé, a fé verdadeira e aquela capacidade de acreditar sem ter provas, sem ver, sem ouvir... é como uma criança que passa a noite esperando o Papai Noel entrar pela chaminé na noite de Natal, pra quem não acredita parece um pouco ridículo, mas para a criança é uma noite mágica, ás vezes a mais importante do ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, e a fé também faz pessoas atirarem aviões contra prédios entre tantas outras insanidades. Acredite, não há virtude em se crer sem bons motivos para se crer. Não há mérito em se abandonar voluntariamente o pensamento crítico. Durante séculos foi ensinado e propagado criminosa e irresponsavelmente que ter fé é algo positivo, mas não há virtude nenhuma em se ter fé. Pode ser confortável acreditar no que não existe, mas isso tem um preço e o preço é alto.
      Crianças acreditarem em fantasias é ótimo e salutar. O problema é quando crescemos e continuamos a agir como crianças. Acreditamos em um ser todo poderoso, que vive no céu e que, apesar de ser onipotente, em nosso narcisismo, entendemos que trabalha para nós. O quão diferente isso é de acreditar em Papai Noel?
      1 abç.

      Excluir
  20. O fato é que conhecemos pouco e o pouco que nos ensinam ainda é errado, e quem sabe a verdade absoluta? Ninguem.
    Mistério, mistério, dogma...

    Perguntava a minha avó certas coisas que desde criança me causavam absurdas dúvidas e a resposta era sempre, "é dogma da igreja minha filha".

    Estudando música um dia me deparei com algo absolutamente inimaginável e absurdo; No século XVI ou XVII, os corais das igrejas só poderiam ser compostos por homens,(mulheres não eram permitidos), até ai tudo bem, mas, todo coral necessitava de vozes agudas, tecnicamente falando "sopranos", e somente garotos pequenos poderiam cantar, e para acentuar suas vozes, esses mesmos garotos eram obrigados a serem castrados, CASTRADOS até em barbearias. Assim avoz continuaria aguda, com a desculpa de que esses "filhinhos de Deus" cantariam para ele. Para igreja na época não se tornar vilã, informavam que somente faziam isso com crianças orfãns, sem nenhum parentesco.Muitos morreram e outros passaram a ser considerados nem homens nem mulheres. O nome desses coitados era castratos. Isso só chegou a ser proibido muuuiitos anos depois. Na casa ainda de 1900 e tralálá.

    Se eu perguntar porque faziam isso o que será que minha avó vai responder? Será que abalarei sua fé na reta final da vida?

    Sinceramente é muito ruim quando se descobre a contradição dos fatos e das religiões. Esse é apenas um de milhoes de fatos das quais menos de 1% foi citada.

    Muito boas explanações Hpcharles!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Izabella, por isso que tento não me ater a "verdades". Elas sempre mudam de acordo com o diapasão, de acordo com o prisma. Acho mais interessante nos focarmos nos fatos, esses são mais difíceis de refutar ou negligenciar.

      Eu conhecia a história dos castratos e ela é muuuuito interessante mesmo. Curiosamente falei disso com a Tati em uma situação de humor faz pouco tempo.

      Eita, deixa sua vozinha quieta lá com a fé dela, kkkkk!

      Vc tem toda a razão, o processo de de esclarecimento pode ser muito difícil. Doloroso até. Em qualquer situação de nossas vidas, seja ela afetiva, profissional e é claro, religiosa, é complicado sair da inércia que domina nossa "zona de conforto". Mas penso que pior do que isso, é não sermos honestos intelectualmente. Não estarmos preparados para mudar face ao melhor argumento, às novas informações. Isso é pior a meu ver.

      De nada Izabella, qualquer dúvida é só perguntar.

      1 abç.

      Excluir
  21. Eu quero participar...preciso urgentemente desse livro.

    ResponderExcluir
  22. A única coisa tão inevitável quanto a morte é a vida.
    E ler me faz perceber a vida eu quero muito ler esse livro...

    ResponderExcluir
  23. Tô participando! Gosto muito dos seus videos.

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Tatiana, porque você não faz um evento voltado para a leitura? Reunir todas as pessoas que lhe seguem no blog e/ou no canal para discutirem sobre livros etc. Seria bacana.

    ResponderExcluir
  26. Quero muito esse livro, fico cada mais interessada em ler sobre esses assuntos , e vendo seu vídeo tive mais curiosidade ainda pela ótima explicação

    ResponderExcluir
  27. Preciso realmente saber em qual classe me encaixo! ENTÃO ESTOU PARTICIPANDO, QUERO MUITO GANHAR :D

    ResponderExcluir
  28. Bem, eu quero muito ler esse livro. Infelizmente, ele está muito caro, o físico. Contudo, como possuo um kindle touch irei ler no meu e-reader mesmo, que eu o consigo de uma forma ilícita. (Desculpe, talvez seja contra o que eu faço, mas eu sinceramente não compro livros para o meu kindle já que eu acho VÁRIOS sites disponibilizando os livros que desejo de graça.)
    De qualquer forma, é um livro que eu preciso ler. Pelo fato de que ele vai ajudar a responder todas as minhas dúvidas e refutar meu pensamento sobre a religião. Desde criança fui ensinado dentro de um igreja, sem ter a opção de duvidar, de questionar de nada do que eles falaram. Felizmente, percebi que de acordo com a lógica, é bem improvável que Deus realmente exista, e talvez se existir, não se lembra de nós.
    Enfim, desejo muito esse livro (estou participando de sua promoção) para que possa abrir meus olhos, finalmente.

    Acompanho seu vlog, vejo todos os seus videos (menos os de maquiagem, rs) E tudo mais, agora também descobri seu blog e estou amando ver textos seus sobre livros alheios.

    Obrigado pelo trabalho. (:

    ResponderExcluir
  29. Por favoooor, quero muito ganhar este livro!!! Já me inscrevi aqui e no Conexão Ateísmo.

    ResponderExcluir
  30. Por favoooooor, quero muito ganhar esse livro!!! Me interessei muito assistindo a resenha que fez dele no you tube. Já me inscrevi nos canais. Bjs e obrigada!

    ResponderExcluir
  31. Oi Tati!! É a primeira vez q escrevo para vc e gostaria de dizer q estou lendo este livro e pra minha supresa posso dizer q é muito esclarecedor. Estou no capitulo 5, onde o Dawkins fala sobre "as raizes da religião".

    ResponderExcluir

<< >>