"Ateus Revoltadinhos" (por Hpcharles)


Se tem uma coisa que todo ateu já ouviu pelo menos uma vez, é que ele é revoltado. Que ele é nervoso ou rancoroso. Alguns religiosos justificam essa “característica” como sendo oriunda do fato dele “não ter deus no coração”, de ter um “vazio dentro de si”.

O ateu geralmente também é condenado por ser muito racional. Eu mesmo já ouvi isso com a pior conotação possível. “Ah, mas você é muito racional, nunca será feliz assim”. Já deveria estar acostumado, mas ainda me impressiono quando ouço alguém criticar a racionalidade e dar-lhe um sentido negativo. Bom, parece que os religiosos não entendem mesmo que, nós ateus, só conseguimos ser felizes em nossa racionalidade. É isso que nos traz paz. Nossa capacidade de separar o real do ilusório e, ainda assim, apreciar tudo o que a vida traz de belo.

Como se não bastasse, o ateu; segundo pesquisas, figurar em primeiro lugar na lista de preconceitos, sendo colocado à frente dos negros, dos homossexuais, dos usuários de drogas e das prostitutas, ainda é considerado um ser revoltado, uma pessoa raivosa.

Somos divididos em estúpidos sub-grupos baseado na patética argumentação de que se você diz que não crê em deus você é ateu, mas se você não crê em deus e diz “porque” não crê em deus, você então é neo-ateu. Brilhante, né?

É claro que nunca vi grupos de ateus se reunindo para agredir homossexuais na Avenida Paulista ou na orla de Copacabana. Nunca vi também associações de ateus colocarem capuzes brancos e queimarem negros. Tão pouco vi ateus dizendo que quem não concorda com eles será torturado por toda a eternidade.

Mas dessa vez sou obrigado a concordar com os religiosos. Isso mesmo: NÓS ATEUS, SOMOS REVOLTADOS! Pronto, admito para quem quiser ouvir. Somos revoltados e pronto.

Somos revoltados porque existem professores de ciência de escolas públicas, que ainda se recusam a ensinar a evolução. Somos revoltados porque a Igreja Católica não admite o uso de preservativos em continentes como a África, onde a Aids é uma doença endêmica, condenando assim, milhares ao óbito por via indireta.

Somos revoltados, porque missionários espancam suas mulheres quase até a morte afirmando que é a vontade de deus que elas se submetam a seus maridos. Somos revoltados porque em países como a Índia, com seus néscios sistemas de castas, pessoas são doutrinadas para acreditar que sua pobreza é merecida e fruto do carma de vidas passadas, onde foram ruins.

Somos revoltados porque até hoje pessoas são mortas e mutiladas na África por facões cegos, bradados por padres católicos que acusam pessoas de bruxaria. E antes que perguntem: sim, isso acontece hoje, não estou falando da idade média não.

Somos revoltados porque pessoas são ensinadas a odiarem sua sexualidade sob pena de irem para o inferno. Somos revoltados porque mulheres são convencidas a não exercer sua feminilidade, mesmo que existam igrejas onde a poligamia masculina seja permitida. Igrejas onde as meninas são convencidas a se casarem contra a sua vontade, para não serem cobradas em suas pós-vida.

Somos revoltados por ensinarem crianças a odiarem homossexuais, por as doutrinarem a reprimir a sua homossexualidade e a odiarem seus corpos. Somos revoltados por dizerem que se forem gays são doentes e precisam “de cura”.

Somos revoltados porque pais religiosos frequentemente expulsam seus filhos de casa por serem gays, quando o certo, o “cristão” a se fazer, seria amá-los e acolhê-los, assim como um tal de “Jesus”, segundo a teologia mais comezinha, assim o faria.

Somos revoltados porque humilham e agridem quem é diferente deles com uma mão, enquanto com a outra, seguram algo que é chamado de o “bom livro”.

Somos revoltados porque obras de arte de valor inimaginável como os Budas de Bamiyan, foram destruídas pelos Talibãs, por aversão à “idolatria”. Somos revoltados pela prática monstruosa da infibulação, que consiste em mutilar o clitóris de meninas e mulheres a fim de frear-lhes a sexualidade, e isso tudo com fundamentação em interpretação teológica.

Somos revoltados com a teocracia islâmica, onde um o simples desobedecer ao pai ou mero namoro fora do casamento e da religião, é punível com açoitamento público e dependendo do caso, até a pena de morte por apedrejamento.

Somos revoltados quando sabemos que crianças de 10 anos de idade, são forçadas a casar por mero atendimento à crenças e costumes religiosos oriundos de uma época onde as pessoas defecavam no mesmo local em que comiam.

Somos revoltados com o fato da Igreja Católica, nos EUA, ter gasto 2.2 bilhões de dólares pagando litígios relacionados à vítimas de abusos sexual clerical, em um total que pode ter chegado a mais de 100.000 casos apenas naquele país, com a abissal maioria desses criminosos, tendo obtido guarida de uma instituição religiosa que, supostamente, deveria possuir um condão de fé e de virtude. Somos revoltados porque a punição proposta e aplicada por tal cepa de vilões, foi a de transferir os malsinados vilipendiadores de inocências para outra paróquia, para onde pudessem remansosos, perpetuar suas parafilias. E tudo isso com a benção de seu "Santo Homem".

Somos revoltados porque aqui mesmo no Brasil, onde uma outra criança de 9 anos foi estuprada e engravidou e, ao ter um aborto autorizado, fora comunicada que, tanto os médicos que fizeram o procedimento, bem como a família que a permitiu, seriam excomugados pela Igreja Católica. Somos revoltados também porque essa mesma igreja Católica, não teve idêntica atitude para com o animal que praticou tal estupro, o eximindo de ser também excomungado. Ora, que pesagem é essa? Que mensagem é essa que foi perpetuada?

Nós ateus nos revoltamos com o fato de que essa mesma Igreja Católica, só reconheceu e se desculpou em 1992 pela injustiça que praticou com Galileu em 1663. Nos revoltamos porque 300 anos é muito tempo, até para se pedir desculpas.

Nós ateus ficamos revoltados quando vemos pessoas diariamente sendo roubadas e abusadas em sua fé por pastores que lhes passam a perna sem a menor piedade. Por larápios disfarçados de cordeiro, com suas mansões na Flórida e seus aviões a jato.

Nós ateus ficamos revoltados quando ouvimos que forças sobrenaturais ou entidades, atuam e produzem efeitos sobre um mundo natural, mas são totalmente invisíveis e indetectáveis nesse MESMO mundo natural.

Nós ateus ficamos revoltados quando religiosos nos afirmam que não podemos julgar ou discernir os atos ou omissões divinas face às tragédias do cotidiano e aduzir que deus é mau por isso, vez que nosso critério, por ser humano, seria falho, ao passo que, esses mesmos religiosos, usam exatamente esse mesmo “critério humano e falho”, para dizer que deus é bom e justo.

Nós ateus somos revoltados vez que, não aceitamos com passividade o fato da humanidade se matar de forma rotineira com base em sagrados livros contraditórios e sem nenhuma justificativa que os sustente, a não ser a fé de quem os professa.

Nós ateus nos revoltamos quando assistimos aviões serem jogados a 500 KM por hora contra prédios em atendimento a fé, qualquer que seja ela. Nos revoltamos quando vemos cristãos matarem muçulmanos e muçulmanos matarem judeus, em um loop de violência infinita, em nome de um deus que nunca apareceu nem para um cafezinho.

Nós ateus nos revoltamos sim. E temos orgulho dessa revolta. Temos orgulho de propagarmos o pensamento crítico, o embasamento científico, doa a quem doer. Temos orgulho de colocar o dedo na ferida. Temos orgulho de dizer que todos que afirmam suas certezas, deveriam ter a obrigação de demonstrá-las com evidências, ao invés de empurrar a sujeira para baixo do tapete.

Nós ateus temos vergonha quando religiosos aduzem que a terra foi feita para eles, quando sabemos que somos apenas poeira estelar e que a humanidade é um mero piscar de olhos na vastidão do tempo e do espaço.

Nós ateus ficamos revoltados quando religiosos nos chamam de radicais e intolerantes por dizermos “nós não concordamos com vocês” e perguntarmos “que evidências vocês tem para corroborar o que afirmam?”

Nós ateus nos revoltamos quando religiosos tentam passar a imagem de que a revolta ateísta com a religião, ocorra não pela religião em si e suas mazelas de clareza meridiana, mas sim porque há algo de errado conosco.

Mas sobretudo, nós ateus nos revoltamos porque vocês religiosos não se revoltam. Porque não se indignam com tudo o que acontece ao redor do mundo e em seu próprio país, bem nas suas barbas. Que legado deixarão para seus filhos? Um país baseado nas ideias da bancada evangélica? É isso mesmo!?!?! Que não reclamem depois!

Por derradeiro que fique claro que, enquanto essas injustiças forem praticadas, esse tapa na cara do bom senso e da postura intelectualmente mais correta continuar, vocês religiosos terão que lidar com esses “ateus revoltados”.

Esses mesmos ateus revoltados que durante muitos séculos e até nos dias de hoje, foram e são perseguidos, torturados e mortos. Esses ateus revoltados que, ao longo da história, contribuiram para que a ilusão nunca sobrepujasse a razão. Que trabalharam incessantemente para entregar maravilhas científicas. Que de forma inelutável, sangraram para que o ser humano fosse reconhecido por sua mortalidade, falibilidade e racionalidade e, ainda assim, fosse imprescindível.

Termino lembrando o belo questionamento de Douglas Adams:  Será que não é o bastante ver que um jardim é bonito sem acreditar que ha fadas escondidas nele?” Penso que sim…e vocês?

Hpcharles

PS.: Os textos sobre ateísmo foram postados em atendimento a pedidos. No entanto não se confundem com o propósito precípuo e escopo desse blog. Não existe intenção, a priori, de postar outros sobre o tema, salvo motivo extraordinário.

 *Fundamento Basilar e alguns exemplos – Greta Christina

61 comentários:

  1. Olá,

    nisto concordamos meu caro amigo ateu.
    É grotesco que ainda se cometam atriscidades em nome da fé.

    Embora você não acredite Nele, eu dizer fica com Deus e até mais... é meu modo carinhoso de dizer que lhe quero bem, então...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Kika, acredito que seja sincero de sua parte. No entanto, estou bem sem ele. De fato, em todas as vezes em que precisei dele, tive que resolver sozinho. 1abç.

      Excluir
    2. temos uma variedade de crenças em todo o planeta, e são das mais variadas, e cada uma com uma imensidão de seguidores. na sua opinião o que leva o homem a criar algo tão específico, sistemático e articulado, o q o leva a um deus? obrigado

      Excluir
    3. O homem demonstra essa necessidade desde os primórdios de sua existência. Criou deuses para suprir o que não entendia e aplacar seus medos. As religiões surgiram nessa esteira como forma de estreitamento social, oferencendo conforto em troca de devoção e atendimento doutrinário. Entendo que a necessidade de deus, que muitos possuem, se deve à dificuldade em lidar com as asperezas da vida e principalmente com a morte. Encontram conforto infundado, mas ainda assim o preferem à realidade do cotidiano e do inexorável final de sua existência. Alguns buscam em deus outro pai que os protejas, assim como um dia seu verdadeiro e único pai os protegeu. Qualquer ilação acima disso me parece excessiva vez que a ausência de evidências conduz para a inexistência. Mas esse já é outro assunto distinto. Abçs.

      Excluir
  2. Concordo ctg! :)

    Eu sou católica, pois quando eu era criança sempre quis saber quem era Jesus. Depois cresci e vi que tudo era uma palhaçada do kct (falo assim mesmo kkk) e agora sou ateia com orgulho! ¬¬ Acredito na ciências e coisas que consigam ser comprovadas! u.u enfim...sou revoltada mesmo, e a maioria dos ateus são filósofos se você pensar, mas poucos.

    Sou ateia, mas já vi ateu muito escroto, já estudei com um menino que simplesmente adorava guerra, pois ele achava que as pessoas mereciam mesmo! Tipo...sem comentários, o menino era mto revoltado =_= e não tinha um pingo de certeza. Mas tem ateus que são filósofos como você xD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ser escroto independe de crença ou da ausência dela. Parabéns para vc que tem a coragem de assumir seu ateísmo! Grande abç.

      Excluir
  3. Eu faço Biologia, portanto convivo com um bom número de ateus, e, pessoalmente, não vejo problema nenhum nisso, pois tal rótulo é o mesmo que dizer que é rockeiro ou pagodeiro - tudo questão de opinião, de gosto.
    Meu único problema são os ateus que acabam virando "fanáticos religiosos", apesar da falta de sentido. Defendem ferrenhamente como ser ateu é melhor do que ser religioso, sem poder mostrar argumentos. Tenho muitos colegas ateus que passaram a me ignorar por eu ser religiosa.
    Opção religiosa, time de futebol e partido político... Questão de opinião! Cada um com seu umbigo. :)
    O fato de a pessoa ser ateu não muda minha opinião sobre ela, continuo te admirando sendo ateu ou do candomblé ou da católica. Não muda a sua pessoa.
    Só fico de cara quando criticam fanáticos religiosos e agem como eles D:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Superando a questão técnica de ligar ateísmo a religião, seu pensamento está perfeito. A liberdade de crença ou de descrença deve ser preservada a todo custo, pois é um direito constitucional. O que não impede que explicitemos os malefícios que a religião causa no mundo. O texto foi sobre isso. É comum as pessoas perguntarem a ateus pq discutimos tanto o assunto e de forma tão aguerrida. Citei alguns exemplos e poderia oferecer muitos mais.
      Mas parabéns para vc que consegue ver que não somos "filhos do demônio"(sim, já fui chamado assim várias vezes).
      Se a pessoa se afasta de vc apenas pq vc é religiosa, não merece mesmo a sua companhia. Além de ateu é um débil mental. Simples assim. 1 abç.

      Excluir
  4. 'Quando uma pessoa sofre de um delírio, isso é chamado insanidade. Quando várias pessoas sofrem de um delírio isso é chamado Religião.' Robert M. Pirsig

    'Ser um ateísta não é algo para de desculpar. Ao contrário, é algo para se ter orgulho, permanecer de pé para olhar o horizonte, porque ateísmo quase sempre indica uma sadia independência mental e, de fato, uma mente sadia.' Richard Dawking

    ResponderExcluir
  5. Concordo com toda essa revolta sum, e acrescento uma minha:

    Eu sou revoltada pela quantidade de pseudo-ateus que surgem do nada, porque ateísmo tá na moda. Antes, conversar com um ateu era sinônimo de conversar com alguém inteligente, e hoje, achar alguém que tenha uma opinião tão bem estruturada quanto a sua, embasada em fatos, que seja realmente uma pessoa racional tá raro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu acho que gente despreparada para falar sobre o assunto vai existir de todos os lados. Particularmente só me altero quando me deparo com desonestidade intelectual. Isso eu acho inadimissível. De resto sou totalmente a favor do contraditório, mesmo o mais exaltado.
      Se o assunto te interessar, procure o debate com pessoas que realmente sabem do que falam. E tente, mesmo nos casos em que a conversa não foi boa, tirar o que serve e descartar as bobagens. É assim que faço.
      1 abç para vc.

      Excluir
  6. Acredito em Deus e aceito piamente cada palavra dita nesse texto. Na maioria das vezes os religiosos são muito conformados com tudo o que acontece em suas religiões, sem ver se isso faz bem ou mal para a humanidade. Resumindo, são bitolados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Raquel. Gostei do seu nick, rs...

      Excluir
  7. Respeito muito o seu ponto de vista, pois nenhuma verdade é absoluta. E justamente por isso, no meu ponto de vista você tem razão quando cita a questão da igreja não adimitir, o uso de preservativos ou ainda os fanáticos que usam o nome de Deus para praticar várias atrocidades. Engraçado você trazer isso à tona, justamente nesse momento em que tenho um amigo meu no face, que faz o curso de história, na qual faz várias postagens com imagens de pessoas sendo apedrejadas, ou crianças desnutridas da àfrica com as "famosas perguntas": Cadê Deus? entre outras. Porém esse questão é muito delicada e envolve a fé e o crer(ou não) de cada um. Mas acredito que ser ou não um ateu, não o faz um ser de outro mundo, e independente de tudo deve se manter o respeito e a individualidade de cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não discuto verdades, pois elas variam de acordo com o ponto de vista. Prefiro me ater aos fatos. Tb não entendo que o respeito deva ser automático, deva ser conquistado. Ideias então, não acho que mereçam respeito algum. Pessoas se o conquistarem, estas sim merecem.
      No que tange à fé, ela é uma questão pessoal e impenderia outra discussão. Mas é direito inalienável de todos a possuirem, resguardarem e exercerem. Mas no limite de suas vidas, não a impondo a outrem.
      Grande abç.

      Excluir
  8. Parabéns pelo texto incrivel, tenho minhas crenças, não ligadas as doutrinas estabelecidas.
    Tenho um filho de 17 anos que optei por não batizar pois acho que religião é uma escolha pessoal e ele escolheu por ser ateu, apoio total as escolhas que ele faz.
    Essa é a minha função apoiar, tentar direcionar o carater dele para que possa fazer suas escolhas. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pretendo fazer o mesmo Thata quando tiver um filho. Quando crescer ele decidirá por si. Parabéns pela lucidez de seu comentário.

      Excluir
  9. Eu sou Católica,mas sou da seguinte opinião,Quem quer respeito que respeite primeiro!Sou muito grata por vivemos em um país livre,e não é a religião que denomina o caráter das pessoas,mas sim seus atos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, já escrevi um texto aqui para o blog sobre essa questão do "respeito". Respeito não deve ser automático, deve ser conquistado. E quanto a religião não determinar o caráter pode até ser, mas determina a atitude de muitas pessoas. O religioso frequentemente usa suas crenças como alavanca para suas atitudes. Negar isso seria desonestidade intelectual. É só verificar a influência direta que a religião possui na sociedade e na vida das pessoas.

      Excluir
  10. O post foi muito interessante, e eu nem sou ateu, apesar de não seguir nenhuma religião. Esse tipo de debate é muito interessante, e devia ocorrer com mais frequência, mas é díficil debater ideias com religiosos, eles simplismente acham que tem razão, e que não precisam argumentar, extremamente lamentável.
    Mas vale dizer que muitos nomes importantes da ciência não eram ateus, como: Pitágoras, Newton, Pascal, Descartes, Pasteur, Max Planck, Einsten...
    No mais parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muitos nomes importantes da ciência eram religiosos, o que não valida qualquer argumento a favor do teísmo e nem vice-versa. Einstein não era ateu mas estava longe de ser teísta. De fato, aduziu que a ideia de um deus pessoal era ridícula.
      Grande abraço Renan.

      Excluir
  11. Muito bom! Sou ateu e convivo diariamente com os tópicos abordados no texto. Tenho evitado ao máximo discussões sobre crenças no meu círculo social, não somente por não levar a nada , mas, também, porque o brasileiro - de maneira geral - é muito desrespeitoso quando a religiosidade do próximo, ainda mais quando se diz ser ateu ou ser de uma religião totalmente diferente. Uma vez mais, parabéns pelo texto.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Cadê o botão de palmas?
    Maravilhoso texto! Quem dera eu fosse eloquente o suficiente pra escrever algo parecido.

    ResponderExcluir
  13. Ei garoto! Não sou ateia mas tenho minhas crenças pessoas e convivo bem com elas... Mas você conseguiu juntar tudo o que eu sempre pensei em um unico e excelente texto! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs, muito obrigado pelo "garoto". Faz tempo, viu? kkkk!!!! Valeu Isa, grande abç.

      Excluir
  14. Matou a pau mano, (SUGESTÃO)Crie um blog sobre o tema para evitar futuros constrangimentos para o blog atual, Só não vem xingar!!! Foi só uma ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi, Marco. Alguém te xingou aqui?

      Excluir
  15. Tati! só estou zuando o HP, Talvez a ideia não fosse tão boa, Tipo! me adiantei antecedendo alguma "reação" negativa, Puts, gaguei no coments Tati?

    ResponderExcluir
  16. Acredito em Deus e, embora eu não goste do termo, as pessoas que convivem comigo acreditam que eu seja "bem religiosa". Mas o fato de eu ter as minhas crenças e segui-las fielmente, não quer dizer que eu discorde daquilo que foi colocado no texto. Tenho amigos ateus que são incríveis e para mim, assim como a cor da pele e a opção sexual, as crenças de uma pessoa não as tornar "melhores" ou "piores". Uma coisa é você acreditar em algo que outra pessoa não acredita, outra é condená-la por não ser como você.
    Em minha humilde opinião o que leva a essas práticas ridículas não está na crença em Deus, mas na religiosidade estúpida, nas pessoas que não são capazes de questionar aquilo que seus líderes afirmam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o fato de ser ateu ou religioso não torna uma pessoa melhor ou pior. Condená-la e ameaçá-la por não acreditar no que vc acredita é igualmente estúpido. Mas admita: em qual lugar isso mais acontece senão na religião? E pior, dizer que a prática de atos nefastos não está ligado diretamente às crenças é absurdo.
      Vou te dar um exemplo que não citei no texto (pelo visto os que aduzi não foram suficientes). A prática da circuncisão em recém-nascidos possui ABSOLUTA relação com a crença das pessoas e considero um ato repugnante. Pegar um bebê e mutilar seu prepúcio apenas pq se acredita em algo sem evidências, é estúpido e cruel. O que fez tal ser humano fazer isso? É pq são necessariamente ruins? NÃO! É pq suas crenças os comandam que o façam. Vou deixar uma frase de Steve Wienberg (Nobel de Física) para vc refletir: "Com ou sem religião, pessoas boas farão coisas boas e pessoas más farão coisas más. Porém para pessoas boas fazerem coisas más, é preciso religião."
      1 abç.

      Excluir
  17. Revoltadinho esse HpCharles...kkk
    Muito bom o texto cara, parabéns!

    ResponderExcluir
  18. Acredito em Deus e convivo bem com pessoas que não acreditam, vejo problema apenas naqueles que tentam se colocar como seres superiores pelo simples fato de serem ateus e afirmam que todos que acreditam em Deus são automaticamente burros, alienados, preconceituosos, etc. Já me falaram isso e umas coisas bem piores.

    Quanto ao texto, eu gostei bastante. E é bom ver que exitem pessoas que sabem formar um boa opnião antes de discutir sobre um tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem se coloca como superior não faz isso pq é ateu, e sim pq é um imbecil. Ninguém é "superior" a ninguém por conta de crença ou descrença, isso é bobagem. Mas existem religiosos alienados, burros e preconceituosos sim, isso também e um fato. O problema é a generalização.
      Como já comentei antes, tente debater esse assunto com pessoas informadas. As pessoas tendem a discutir religião como se fosse futebol. O mais importante é que nessa questão estejamos abertos a mudar de opinião face ao melhor argumento, e com isso preservarmos nossa honestidade intelectual.
      Não ligue para imbecis. Eles aparecerão dentro e fora das igrejas.

      Excluir
  19. Logo de saída pode parecer que o texto é grande "Ah! Eu não vou ler isso tudo", mas a leitura flui e uma verdade vai te empurrando para outra. Não sei como muita gente não vê que tem alguma coisa muito errada nesse mundo.

    Para mim não é nem a questão da existência ou não de Deus, a propósito, gostei da frase do Adams, aliás eu não sou ateu, mas as religiões são um grande problema. Podem até ter um lado bom, mas os exemplos citados no texto são mais que suficientes para não justificar essa visão restrita de muitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu acho que o mais importante nessa seara é apresentar fatos que muita gente nunca parou para pensar e, concomintante a isso, difundir o secularismo. O resto deve ser uma decisão pessoal, com a garantia constitucional de sua escolha, seja ela qual for.

      Excluir
  20. Cara, eu também sou revoltado com tudo que você disse ali. E mesmo assim acredito em Deus. Só porque eles fazem tudo isso não quer dizer que Deus aprova. Mas, sim, vocês estão corretos em ter um pensamento crítico, e matar em nome de religião é uma das maiores ironias que existem.
    Essa história de que essas pessoas (homossexuais ou de outra religião) merecem esse tipo de coisa é pura besteira, só uma desculpa para quem fazer o que quiser, e essas pessoas ainda tem a coragem de dizer que é por que Deus quis assim. Essa é a minha visão, eu vejo por um ângulo diferente. Mas eu tenho total certeza que vocês precisam continuar revoltados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo o seu ponto de vista Rafael, mas dá uma lida em Levítico e Deuteronômio. Posso estar enganado, mas os regramentos enviados por deus e descritos Bíblia com relação à homossexualidade são bem claros. Se vc quiser posso te enviar os versículos.

      1 grande abç.

      Excluir
    2. Ah, mas bíblia não está toda correta, é por isso que eu não sigo ela. Eu acredito no que eu sei e presenciei, não vou seguir nada à risca.

      Excluir
    3. Ah, beleza então! Abração procê!

      Excluir
  21. Ótimo texto, muitas pessoas deveriam lê-lo.

    Sou ateia, e entendo que existem aqueles que acreditam em Deus, mas alegam não seguirem a Bíblia e a religião, e que até vão contra ela. Tudo bem.
    Mas não entendo como acreditam. Parece que não pensaram direito, ou suficiente, sobre como isso é ridículo, com todo o respeito. Quem acredita em Deus, são pessoas solitárias e inseguras, ao meu ver; precisam pensar que nunca estão sozinhas, que alguém as ama incondicionalmente (e esse ser seria Deus). Mas isso só faz mal a elas mesmas, é diferente de ser um fanático religioso preconceituoso, que prejudica e não aceita os diferentes; quem apenas crê, deve ser uma pessoa mais frágil emocionalmente, que acha que 'precisa' de Deus e quer acreditar que a vida tem um sentido a mais, que não pode ser simplismente viver, ou que além dela, não há apenas morte.
    Eu por exemplo, nunca acreditei em nenhum ser divino. Tive criação católica e espírita, fui crismada, rezava quando criança. Mas percebi minha própria hipocrisia cedo, durante a primeira década de vida: procurava Deus por meio de orações quando estava com medo e me sentia sozinha. Percebi que eu não acreditava 'nele', era só uma ilusão, um amigo imaginário que supostamente me protegeria dos espíritos e demônios enquanto eu dormia no escuro. Para superar o medo, comecei a pensar muito sobre isso antes de me deitar, descobrindo quão ridículo era temer o inexistente. Vi como em todos os anos que aguardei por monstros me buscarem à noite, nada aconteceu, como era tudo fruto da minha cabeça, e que se alguém podia me fazer sentir segura, era eu mesma, não outra Ilusão chamada Deus ou um Anjo da Guarda. Não é algo que me faz falta.
    Mais tarde, na adolescência, já ateia assumida, conheci a verdadeira hipocrisia. As piores pessoas que conheço, sem caráter e sem escrúpulos, frequentam a Igreja regularmente. Algumas buscaram a religião justamente por esse motivo, e outras aprenderam a ser assim dentro da Igreja.
    Mas enfim, nada contra essas pessoas que creem no tal Pai Eterno, só acho triste inventarem alguém que 'acredita' nelas, e não acreditarem em si mesmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas algumas pessoas simplesmente acham que precisam de um amigo imaginário para serem felizes. Particularmente não me incomodo. O problema é quando essas pessoas tentam impor as suas crenças a toda a sociedade, através da mídia e da política pública, querendo ditar aos outros o que lhes comanda a estúpida crença da Idade do Bronze.

      Excluir
    2. "Toda loira é burra" "todo negro é ladrão" "todo asiático é inteligente" "todo religioso é inseguro e solitário"

      Excluir
    3. Foi você quem disse, não eu.

      Excluir
    4. Não, não foi você quem disse. Nem eu. Foi a mocinha de cima que veio com esse comentário:
      "Quem acredita em Deus são pessoas solitárias e inseguras"

      Excluir
    5. Sim, não tinha reparado, me desculpe. Não concordo com as generalizações também.

      Excluir
    6. Tb não concordo. Mtas pessoas acreditam pq foram ensinadas assim e não desenvolveram o senso crítico ao longo da vida. Experiência própria. Foi muuuuito dificil pra mim me desvencilhar de td que foi minha base de vida durante tantos anos. Mas hj consigo ver como algo libertador. Não temer uma eternidade no inferno, ou qse pior, no céu, de joelhos cantando aleluias e nada mais tb é edificante. Hj penso q nascemos ateus (ao menos eu nasci) e somos educados para sufocar isso. me lembro desde a mais terna infância de questionamentos do tipo "jesus morreu por mim por que? eu ñ tinha nascido e nem pedi pra nascer", ou "pq o diabo é que me induziu a fazer tal coisa ruim, eu quis fazer". Mas minha educação me dizia para "repreender esses pensamentos demoníacos". religiosos nem sempre são inseguros. e tb pouco me importa a crença alheia, seria mto mais proveitoso q pessoas ao menos soubessem de fato no que creem e porquê creem.

      Excluir
  22. Esse é um dos melhores textos que já li.
    Parabéns!! Seu blog ganhou uma nova seguidora.

    ResponderExcluir
  23. É interessante como se manifesta meu caro, Suas palavras são bem contundentes, tem todo um contexto moral e histórico; Mas discordo inteiramente quando vc põe a religiosidade como centro de toda aberração que ocorre na face da terra; Não quero aqui defender a religiosidade, até porque não está escrito que os religiosos herdarão o reino do céu.
    Crer em Deus e professar o que o Senhor Jesus nos ensinou em sua vida aqui na terra vai de contra muitos dos pontos citados em seu argumento. Jesus veio nos ensinar apenas a Amar, Deus sobre todas as coisas e o próximo como a si mesmo. Se o homem com toda sua sabedoria fosse capaz de auto realizar-se a partir de seu próprio entendimento e conhecimento não estaríamos levando o planeta destruição. Você é inteligente utiliza o que o ateu possui de melhor e confronta com as falhas, erros e pecados dos Cristãos. Se você pegar uma lesma e comparar da mesma forma com o ser humano terá a mesma visão.
    Assim fica fácil dizer que ser ateu é melhor.
    Continuo Crendo em Deus como soberano e mesmo que não creias Deus continua te amando.
    Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  24. Melhor texto sobre. Me lembro da minha transição de religiosa para... ainda não sei para onde. percebi que de fato nunca havia sido religiosa, estava roboticamente praticando a educação recebida, sem nunca ter parado pra pensar o pq de acreditar naquilo. msm assim foi um processo doloroso de início. marcado por várias fases. Numa delas, cheguei a fazer um comentário numa foto sua no insta dizendo que certas atitudes ateístas me faziam pensar "será que de fato deus não existe mesmo pra incomodar tanto?" um amigo seu q deve ter visto algum comentário meu de outros carnavais me chamou de mentirosa (sobre ser agnóstica), e vc me bloqueou em todo seu direito. Isso era pq na época um último questionamento me impedia de dar um passo adiante: se existe tanta necessidade de crença, será que não é pq existe de fato algo para crer? como a fome nos alerta da necessidade de alimento? hj esse questionamento já caiu por terra, como mtos outros. O homem tem necessidade de crença pq tem medo de morrer e é acalentador acreditar na vida e felicidade eterna após a morte. É mais fácil e comodo do que brigar por um mundo melhor. Não é fácil erguer a bandeira do ateísmo. Vivo dentro do armário pq fui criada dentro da igreja, filha de pastor protestante que me excomungaria da família se eu dissesse, por ex, que se deus criou um anjo e o expulsou do céu como demônio, criou adão e o expulsou do paraíso, não há pq crer em eternidade no paraíso, qlq um pd ser expulso. ele jamais seguiria minha linha de pensamento. é mto mais fácil dizer, face a esse tipo de argumento, que tal pessoa está endemoniada. ou revoltada. enfim, por isso parabéns pela coragem e pelo trabalho. as pessoas com visão crítica e racional de mundo precisam msm se unir e se manifestar pra q pessoas como eu encontre forças pra sair de seus armários. Abraço.

    ResponderExcluir
  25. P.S. acabei de enviar um comentário e acho que (pq ñ está aparecendo ainda) comentei algo do tipo intolerância ateísta com a religião. Se de fato eu tiver usado esse termo, entenda por isso que esse foi um pensamento há muito já em desuso por mim. ou melhor, continuo pensando que os ateus são intolerantes, mas não com a religião, e sim nas atrocidades cometidas em nome desta. intolerância essa que deveria ser inerente a todos! infelizmente, não é o que ocorre. Um abraço pra vc e Tati.
    Flávia Mel

    ResponderExcluir

<< >>