Religiosos, por que vocês são tão especiais? (por Hpcharles)

Neste mesmo momento existe um muçulmano em sua mesquita. Ao acordar ele fez suas abluções diárias, se posiciona em direção a meca e agora se prostra em adoração a seu deus. Seu livro sagrado afirma que seu procedimento é o correto e que seu dogma é indiscutível.

Mesmo em seus piores dias, ele guarda o seu tempo para orações e para estudar o Corão. Seus ensinamentos aduzem, sem sombras de dúvidas, que Cristo não era o filho de deus e que, quem assim o considerar, será punido por isso.

Do outro lado do mundo, um cristão se ajoelha no átrio de seu templo em adoração a Jeová. Assim como o outro religioso, ele também obedece espartanamente os rituais e ordenamentos de seu livro de inspiração divina. Separa seu dízimo, se confessa, jejua, bebe do sangue e come do pão abençoado aos domingos. Ele também acredita de forma fidedigna que isso é o melhor a se fazer. Afirma que tal postura é seu norte e deve ser sua maior ambição nesta vida.

Já repararam que existe um problema aí? E esse problema é intransponível. Ou um está certo ou não está. Ou Cristo era o filho de deus ou não era. Se um está certo, o outro está errado. A pergunta é simples, mas a resposta nem tanto. Pelo menos para quem não é religioso.

Notem que nem o cristão e nem o muçulmano se preocupam se o outro pode estar certo, vez que ambos SABEM possuir a verdade. SIM, o religioso afirma ter a CERTEZA DE QUE ESTÁ CERTO. Isso faz parte de seu dogma. A dúvida não é desculpável. Não há virtude na dúvida. Aqui, a dúvida se supre com a fé e não com evidências. Quanto mais fé, mais virtude e mais certeza. Mas a pergunta sem resposta ainda continua lá.

Entretanto, existe uma questão ainda maior. A crença não é monstro no sótão. O cerne do problema é que o religioso usa sua crença como catapulta, como alavanca para seu atos. Seus livros ensinam que seus credos devem ser espalhados epidemicamente, doutrinados em crianças, esposados como verdade indiscriminada e inexorável.

Ambos os livros, apesar de contraditórios, aduzem que só existe uma verdade, e que tal verdade está acima de qualquer julgamento e de qualquer lógica. Tais alfarrábios, que foram redigidos em um tempo onde se acreditava que cuspir em feridas podia curá-las; por gente com conhecimento menor do que o de uma criança de 12 anos de hoje, não permite contestação. Nem a fundamentada. Existe o pretexto e a argumentação de que seus textos contém instruções transmitidas pelo criador e senhor supremo. E para eles isso deve ser suficiente.

Ambos os deuses, o muçulmano e o cristão, são invisíveis. Imóveis. Omissos. Vingativos. Oniscientes. Inescrutáveis. Ambos os deuses possuem crimes em suas costas, tragédias em seus espólios. Ambos os deuses te ordenam que creia, que engula sem àgua, que se ajoelhe. Ambos os deuses te comandam para que você se entregue e afirmam que resistir é inútil e perigoso.

Assim como a embalagem de cereal e o ovo de chocolate recheado, eles prometem prêmios secretos. Secretos pois nunca ninguém os viu. Não se conhece quem tenha descontado o cheque. Quanto mais consumo do produto, maior a possibilidade de se conseguir o prêmio eterno, em uma loteria divina onde a punição por não se acertar os 6 números é a tortura eterna.

Mas quem disse que o cristão se preocupa se o muçulmano achou um regramento mais inteligente? Quem seria tolo de apostar que o islâmico ficou sem dormir ou comer suas tâmaras, por conta da “Regra de Ouro”?  Isso não é relevante apesar da pergunta restar de pé, exigindo ser respondida e causando recorrentes perdas para a humanidade. A questão escarva, pronta para começar o ataque e destruir a tudo, tal qual um touro em uma loja de porcelana. E essa pergunta é: quem possui a verdade? Qual dogma realmente possui impressões oriundas do hálito celestial? Me diga você religioso. Isso não te preocupa? Ironicamente você ainda não se deu conta de que pode parar no inferno de outro deus?

Claro que existe uma outra possibilidade a ser considerada. E ela é espetacular. Lógica, razoável, gregária em sua essência, bela em sua simplicidade. Ela não te não te premia e não te condena. Desafiadora desde o nascituro, ela te pergunta: e se ambos estiverem errados?

Sim, considerem por um momento que deus não existe. Isso não faz mais sentido do que seu deus pessoal? Isso não te parece mais real do que seu amigo imaginário, do qual você se esquece quando se masturba? Aliás...olha...ele está vendo, hein? Teologicamente até seus sonhos podem condená-lo. Não se esqueça do “não desejarás a mulher do próximo”, seu onanista pecador? Não se esqueça que até “white lies” são suficientes para enviá-lo para o fogo eterno. Não se esqueça que o dogma prevê punições INFINITAS para crimes FINITOS. O quão injusto é isso?

Pois é, será tão difícil admitir que isso não faz sentido? Estamos em pleno século XXI! Se já era estúpido defender um ser sanguinário que nunca deus as caras há 2000 mil anos atrás, a situação não ficou melhor agora.

Será que já não houve tempo mais do que suficiente para o teísmo apresentar suas considerações? Os métodos de que dispomos hoje para a o amealho e avaliação de evidências não são confiáveis o bastante para separarmos o real do imaginário? Será que toda vez que ocorre um milagre ao redor do mundo, não há um bendito de um cético com um celular na mão para tirar uma foto? Ou será que milagres simplesmente não acontecem, vez que seriam alterações das leis da física? O que lhes parece mais razoável?

O fato é que, se deus existe, faz questão de não se apresentar. É fato também que, é militar no sentido de não se importar com a humanidade. Não resgata corpos no mar quando ocorrem naufrágios, não cura doenças, não diminui o desejo dos padres em sua paudurescência pedófila. Se algum corpo foi retirado do oceano, se a leucemia foi debelada, se o clérigo foi denunciado, isso não teve nada a ver com deus! Isso foi trabalho dos homens.

Mas se não são capazes de mostrarem a verdade do que afirmam, porque vocês religiosos, então se matam entre si? Porque seus livros são apresentados como se fossem o que existe de mais nobre e moral já escrito ao longo da história? Porque os comparam, os bradando ao ar, como se medissem o tamanho de seus próprios pênis?

Porque os usam para dizer que sua fé é maior e que sua mensagem é mais poderosa? Se não tem certeza, vez que não podem, porque o usam como desculpa para maltratar homossexuais, mutilar prepúcios e clitóris ao redor do mundo? Será que é injusto de minha parte perguntar por que, ainda nos dias de hoje, Jeová se preocupa mais com uma fimose do que com a fome na África?

Me desculpem, mas ao contrário de vocês, não tenho certeza. Admito isso. Acho apenas improvável. Aliás, muito improvável face a ausência de provas e a pobreza de evidências. Mas ao contrário da religião, que prega a o abandono da arrogância, eu, como ateu, afirmo que não tenho certeza. Não acredito nem por um segundo, mas não posso dizer que tenho “certeza”. Isso seria desonesto e para o ateu, a desonestidade intelectual simplesmente não pode ser aceita.

Lembremos que saber é diferente de crer e ressaltemos o que afirma Dan Baker, que, de forma cirúrgica, aduz que "o ateísmo não afirma que a inexistência de deus está provada, mas sim que a existência de deus não está provada". E que, em qualquer argumento, o ônus da prova está do lado daquele que faz a afirmação.

Toda essa discussão é importante, mas como sempre, o mais importante são as consequências. Sendo assim, torno a perguntar: religioso, você poderia me responder qual de vocês possui a verdade?

Depois de algum tempo refletindo sobre o assunto, cheguei à conclusão de que a verdade nunca foi importante nessa seara. Sim, é claro que cada religioso de cada credo gostaria de estar com a verdade. Mas o problema de vocês não é com a verdade. Nunca foi. O problema de vocês é com os FATOS!

A questão é simples, seus livros de cristalina antítese estão repletos de “verdades”, não é mesmo? A merda é que os fatos não ajudam essas verdades. Mas sério, isso não me incomoda. Podem até acreditar na mulher que prediz o futuro apertando os testículos de um bode. Isso é com vocês. O  problema começa quando essas verdades são impostas e disseminadas causando mal a outros seres humanos.

O que importa mesmo, é que ao longo dos séculos essas verdades de mentirinha, esse pó de pirlimpimpim, tem matado muita gente. Aviões são jogados contra prédios para se defender a verdade islâmica, crianças sofrem lavagem cerebral em nome da verdade cristã, apedrejamentos são praticados para honrar a verdade muçulmana e vacinas contra HPV são proibidas em nome das verdades evangélicas. Que interessam os fatos? A religião, ao longo dos séculos, nunca se importou com os fatos.

Mas pode ser que algum crente de plantão pergunte então: mas quais são os fatos? Vamos a eles! Os fatos são de que vocês não conseguem provar uma vírgula do que afirmam, mas matam uns aos outros de forma cíclica, rotineira e inevitável. Os fatos são que mais mortes se perpetuaram em nome de deus do que por qualquer outro motivo, e, mesmo assim, as evidências de suas verdades estão no nível de nitrato de polipeido.

Senão, vejamos: judeus matam muçulmanos na Palestina, muçulmanos matam cristãos na Nigéria, hindus matam muçulmanos na Cachemira. No Sri Lanka budistas matam tâmeis hinduístas, na Irlanda do Norte cristãos católicos matam cristãos protestantes. Posso continuar o dia inteiro. Enquanto isso a humanidade da voltas em um carrossel de tripas e sangue, onde a música circense é substituída pelo engatilhar do AK-47.

Já passou da hora de você religioso entender que seu problema não é com a verdade! Saiba que a verdade nunca perde em ser testada, em ser arguída, em ser comprovada. Não, a partir de agora, saiba que seu problema, amigo teísta, não será mais em ser cobrado sobre sua verdade. Te pedir responsabilidade sobre suas verdades seria errado da minha parte. Seu verdadeiro problema foi, é, e sempre será...com a mentira! Daqui para frente, lembre-se que de que a cada sessão de descarrego, a cada unção não atendida, a cada milagre não comprovado, a cada batina manchada de sêmen e vergonha, a cada homossexual espancado com a benção de levítico e deuteronômio, a cada mensagem mediúnica de revista Caras, a cada despacho não aceito pelo santo, a cada criança infibulada, a cada cápsula deflagrada e que atingir a cabeça de outro ser humano de fé como você, em nome de seu deus e de sua verdade, eu vou estar lá para te lembrar: esqueça as verdades, você tem problemas é com as mentiras.

29 comentários:

  1. É impressionante saber que há tantas mazelas no mundo e ainda acreditar que há um ser superior que está olhando por nós...estava assistindo a um programa americano chamado "The Atheist Experience TV Show" e eles são muito esclarecidos acerca da bíblia...eu não li quase nada dela, portanto não tenho autoridade para debater à altura...desde criança sempre tive muita preguiça de ler a bíblia, mas dias atrás fui lá dar uma lida nas primeiras páginas e parei de ler quando uma cobra falou para Eva comer da fruta do conhecimento...espera aí! cobra falando? Foi demais pra mim! Minha família é religiosa, mas eu, já há tempos, não acredito na existência do "divino".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns por deixar de ser escrava de seu fim. O programa é ótimo, by the way...

      Excluir
  2. Darwin ama você... http://www.baciadasalmas.com/2007/darwin-ama-voce/

    ResponderExcluir
  3. hpcharles eu realmente gosto dos teus textos e acredito que é necessário ao ser humano compreender aos outros para ser compreendido. Sou católico e venho lendo e assistindo coisas sobre ateus, pois queria ver de ângulo diferente da minha religião. Atualmente, não acredito em todas as histórias da Bíblia e também não concordo com todas as doutrinas da minha Igreja, mas ainda acredito em Deus, por um motivo que talvez com mais maturidade compreenda.
    Li o texto, porém o que me incomodou foram os comentários. Vi um dos clássicos conflitos entre liberdade de expressão e o politicamente correto, pois, acredite, esse conflito é velho. Eu observei os limites da liberdade de expressão, mas a questão é: se é liberdade porque ela tem limite? Vou expressar uma frase que todo adulto usa quando crianças abusam nas brincadeiras e agridem outra de diversas maneiras e é: "sua liberdade termina quando a do outro começa", e sim, já ouvi isso de pais, professores e qualquer adulto que dê o sermão e é o princípio do politicamente correto à minha concepção, concepção humilde e imatura, sim, mas enfim é liberdade de expressão não é?
    Bem, dizem que é sempre bom ouvir sua mãe e minha mãe dizia e diz até hoje que tudo de mais faz mal, talvez essa regra antiga, provavelmente milenar, se aplique aos dias de hoje, em que o protagonista da peça, o politicamente correto sofre as aversões da antipática liberdade de expressão, ou seria o inverso, certamente seria, porém se abusarmos na liberdade de expressão entramos em fronteiras até hoje desconhecidas, a liberdade do outro, sim, o conceito inicial se aplica aos dias atuais, mas não seria antiquado e ultrapassado dizer que é imoral e usar princípios ilógicos que nossos antepassados abusavam, inibindo de todas as formas a liberdade de expressão. Sim é errado e impraticável, liberdade de expressão é a moda do momento, mas não seria a mesma moda das passarelas, em que todos admiram os looks extravagantes, porém ninguém os utiliza. Seria o mesmo, a liberdade de expressão é uma roupa com marca, porém não agrada à todos, mas tem marca e é por isso que deve ser usada, mas todos gostam mesmo a das roupas convencionais que nada mais são do que as medidas do politicamente correto. Medidas uniformes e padronizadas para todo o tipo de pessoa e, de fato, são concorrentes populares das roupas da marca liberdade de expressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre liberdade de expressão propriamente dita eu realmente que a discussão não vem ao caso. A discussão me parece mais afeta sobre o politicamente correto em si do que sobre outra coisa. A questão é que o religioso "em geral" não admite ser contrariado em suas crenças. Note que, no primeiro comentário, apesar de não ter xingado, a pessoa foi agressiva sim. E como disse antes, não ligo. Já estou mais do que acostumado. E entendo que o fundamentalista para acordar precisa de uma sacodidela. São mais de 3 anos discutindo o assunto e hoje existem ex-religiosos que me dizem que se não fosse o calor da argumentação não teriam de fato, refletido sobre seu dogma.
      Quanto aos limites da liberdade de expressão, é evidente que eles existem. Não existe direito absoluto. Em nenhum país do mundo. Já escrevi sobre isso com uma abordagem mais jurídica em outro blog. Mas aqui a questão é mais o "direito de não ser insultado". Eu acho que NINGUÉM tem esse direito. As pessoas acham que respeito deve ser automático e não conquistado e, para mim, é justamente isso que nos colocou nessa situação, em primeiro lugar.

      Excluir
  4. E surge a questão. Não vou dizer o que penso, pois isso fere a integridade (preferia não usar essa palavra, pois é usada por fanáticos como sua vítima) do outro. Impraticável,vivemos em um país democrático, podemos e devemos opinar e oferecer nosso ângulo. Devo dizer, esse é o molde que a sociedade e a mídia pregam, eles incentivam a opinião e querem ouvi-lá. Novamente impraticável, a essência da sociedade é puramente correta, mas seus moldes são de liberdade e, claro, não são tolerantes a comentários ofensivos, talvez profundos e reflexivos, mas ainda ofensivos, intolerável. Palavra que não me agrada no Brasil, talvez pelo fato da liberdade de expressão ser intolerável, pois se houver as corretas politicagens é totalmente e de forma concreta tolerável, mas o Brasil é o país das tolerâncias não é? Claro, totalmente tolerante ao governo e totalmente intolerante aos filhos desgarrados da sociedade perfeita, pois bem Brasil cristãos, não queria Deus que os filhos desgarrados fossem aceitos? Porque então vós, senhora dócil e amável que frequenta a Igreja todos os dias, paga o dízimo e ainda é das mais comprometidas senhoras com o terço das seis, não aceita uma expressão que foge do politicamente correto, feita por pessoas que após tais comentários são excluídos da sociedade e perdem seu emprego por isso às vezes. Não é da tua doutrina chamar para Deus as almas desgarradas ao invés de separá-las, selecioná-las? Hipócrita, talvez eu o seja. Mas peço a tua resposta à um texto humilde em palavras e peço que de hoje em diante a liberdade de expressão tome à todos, pois se não houver politicamente correto não haverá barreiras e barreiras servem para dividir e excluir, por isso sejam mais tolerantes e se expressem sem esperar elogio, mas também a crítica.

    tive de por em duas partes, pois não deu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Marcelo, eu acho que já te respondi no outro comentário. Em síntese apertada, acho que ideia nenhuma precisa ser respeitada. Na discussão intelectual, se pressentir agressividade, mesmo que sem xingamento, pode esperar que responderei da maneira como julgar que devo. Já conheço o "modus operandi" religioso e acredite, ele foi usado à vontade no primeiro comentário. Sabe o que é realmente ofensivo? São as tragédias apontadas ao redor do mundo por conta da religião, mas isso até agora não mereceu atenção de nenhum religioso, pq será? E quanto ao desprezo de um religioso pela religião do outro? E quanto a incompatibilidade de credos citada no texto. Qto a isso ninguém se referiu. Preferiram falar sobre "tolerância" e "politicamente correto". Me desculpe mas não serei tolerante com o que não julgar que deva. Ao fazer isso, traio a mim mesmo e não o farei, para ficar "bem na fita".
      E note, estou aqui respondendo sei lá...o décimo comentário e NENHUM se referiu ao texto em si. NEM O PRIMEIRO. Sim pq o que o SSV fez foi praticar a chamada "red herrings" e "falácia do espantalho". Ele falou sobre Big Bang, sobre criacionismo e argumento da causa primeira(tudo sem conhecer o assunto, foi apenas pregação). Onde abordei isso no texto? Mudou de assunto e rebateu O QUE NÃO FOI DITO. Respondeu puto pq ficou incomodado com o que leu(e isso é bom) e ouviu o que não queria. Segue a vida, é assim mesmo. As pessoas precisam parar com essa bobagem de levar tudo para o pessoal. De entender que não podem ser contrariadas ou de ficarem nervosas pq alguém disse o que ela não queria ouvir. Isso está matando o Brasil. Só serve se for babação de ovo, do contrário é negativo. Ora, cresçam por favor.
      Quanto à vc acreditar em deus, é seu direito constitucional e deve ser preservado a todo custo. No dia em que a religião e a crença não influenciarem a vida política do país e do cotidiano de quem não crê, não haverá mais necessidade desses textos. 1 abç.

      Excluir
    2. Concordo com você e também acho correto as suas respostas as pessoas que de alguma forma usam a agressividade contida para se impor à sua opinião. Elas pedem respeito, mas no momento em que desvalorizam a opinião de outro, não o merecem mais.

      P.S: Infelizmente as pessoas ainda não aprenderam a discutir sobre religião, então continue mesmo com milhares de comentários que ignoram os seus textos. E ao dizerem que você não soube responder aos comentários, isso é uma mentira. Eu deixei meu comentário e em momento algum sua resposta me ofendeu, o que os ofende é saber que não são os únicos com a razão.

      Excluir
    3. Obrigado Marcelo, concordo totalmente como você. Você percebeu exatamente o que eu quis dizer. Responder sem xingamentos não quer dizer de forma nenhuma respeito, ausência de agressividade ou honestidade intelectual. Prefiro que xingue e seja honesto.
      1 grande abç.

      Excluir
  5. Quem disse que religiosos 'acham' que são especiais? Eu não entendo porque você é tão indignado com religiosos. Respeito seu "dogma" e por isso não fico falando de ateus em meus blog ou em qualquer lugar que seja.
    E você só se baseia em duas religiões e ainda confunde política com religião.
    Você fala de muçulmanos e de judeus e vou te contar um fato, uma verdade (que não está na mídia). Não é judeu que mata muçulmano, são israelenses se protegendo de palestinos e palestinos são vítimas da política. Houve um dado tempo em que ambos desejavam a paz, esse ódio é mais uma pressão política do que religiosa. Até porque Israel deu terras para eles para evitar conflitos. E outra, em Israel mora gente de todas as religiões e se dão muito bem.
    Não vou nem dizer que "todo mundo é filho único de D'us" porque você não vai entender.
    Você é cético, busca a verdade e busca o fato. O que eu acho engraçado é que você generaliza todas as religiões afirmando que elas são meros dogmas. Quem disse que religião é contra a ciência, contra a verdade e contra fatos?
    Quem disse que intelectualidade não pode vir com religião? Existem intelectuais de todas as religiões! Crianças podem questionar de tudo e isso não será motivo para ela não ser religiosa. Até porque eu conheço muitos cristãos que discordam de muita coisa de suas respectivas instituições e correntes, mas a essência de sua crença não.
    Posso te contar um segredo? A Idade Média já passou! A Inquisição também.
    Ainda bem que não fui desse tempo porque eu não sou cristã e provavelmente eu teria morrido numa máquina de tortura, rs
    Ninguém vai provar D'us nunca na vida. A ciência nunca vai provar isso. Sabe de onde veio a ciência? Sabe quem eram os únicos médicos cientistas na Idade Média? foram os judeus. E olhe que eu nem sou judia, apenas busco os fatos, a verdade e me questiono.
    Mesmo que falte pesquisa e argumento, acho que o fato de você discutir isso é mais relevante. Por que você se importa tando com a fé das pessoas? Você quer "catequizar" religiosos para a sua adoração à ciência? Olha o proselitismo hein, rsrs
    Desculpa, não me contive, rs
    Essas discussões rendem muito porque se trata de algo que não se discute: fé. A gente nunca vai chegar a uma verdade absoluta. A gente pode sim discutir atitudes de pessoas, religiosos, a atitude do papa e enfim. Mas nunca a fé de alguém. Se esse for teu objetivo, desista.
    Paz pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então fique lá, quietinha, nos teus blogs, ok? ;)

      Excluir
    2. Vamos lá explicar o que já foi mais do que explicado no texto...

      "Quem disse que religiosos 'acham' que são especiais?"
      Bom, pelo visto vc nunca leu a Bíblia ou o Corão, não é mesmo? Nunca ouvir falar em "escolhidos de deus"? Pois é. Bora ler sobre o quê fala?

      "Eu não entendo porque você é tão indignado com religiosos. Respeito seu "dogma" e por isso não fico falando de ateus em meus blog ou em qualquer lugar que seja."
      Não sou indignado com religiosos filhota, e sim com a religião. Dogma ateu? Putz! Eu rezo para quem? Quais são meus ordenamentos divinos? Qual é a minha punição ou recompensa eterna? Passou muito longe. Precisa estudar...

      "E você só se baseia em duas religiões e ainda confunde política com religião."

      Não, não me baseio. Leia sobre os conflitos que descrevi novamente. E não, vc é quem confunde. Dizer que o cerne de tais guerras é político apenas, mostra seu total desconhecimento sobre o assunto. Típico papo de religioso que quer tirar a o corpo fora. Novamente...nunca leu nada sobre o assunto.

      "Você fala de muçulmanos e de judeus e vou te contar um fato, uma verdade (que não está na mídia). Não é judeu que mata muçulmano, são israelenses se protegendo de palestinos e palestinos são vítimas da política. Houve um dado tempo em que ambos desejavam a paz, esse ódio é mais uma pressão política do que religiosa. Até porque Israel deu terras para eles para evitar conflitos. E outra, em Israel mora gente de todas as religiões e se dão muito bem.
      Não vou nem dizer que "todo mundo é filho único de D'us" porque você não vai entender."

      HAUAHAUA! Porra, aqui só resta eu rir. Para aduzir que a questão entre Palestina e Israel não possui cunho religioso é preciso viver em uma bolha. Até no Mobral eles devem saber isso. Qualquer livro de segundo grau explica a questão, mas a "jênia" acha que possui informações privilegiadas sobre o assunto. É para rir, só pode.

      "Você é cético, busca a verdade e busca o fato. O que eu acho engraçado é que você generaliza todas as religiões afirmando que elas são meros dogmas. Quem disse que religião é contra a ciência, contra a verdade e contra fatos?"

      Sim burrica, religião e ciência são matérias antagônicas. Só fundamentalistas como vc é que acham que não. Religião a favor da verdade? Dos fatos? Vc é comediante, só pode. HAUAHAU! Se vc for cristã, diga isso para um muçulmano, ok?

      "Quem disse que intelectualidade não pode vir com religião? Existem intelectuais de todas as religiões! Crianças podem questionar de tudo e isso não será motivo para ela não ser religiosa. Até porque eu conheço muitos cristãos que discordam de muita coisa de suas respectivas instituições e correntes, mas a essência de sua crença não."

      Sim pode, mas e daí? Sim existem religiosos intelectuais, mas quando a crença deles entra em foco, eles se tornam imbecis. Esquecem os fatos para bater palmas para a fé, que nada mais é do que o abandono voluntário do pensamento crítico. Isso é simples de entender, até vc consegue...

      Continua...

      Excluir
    3. Continuando...


      "Posso te contar um segredo? A Idade Média já passou! A Inquisição também.
      Ainda bem que não fui desse tempo porque eu não sou cristã e provavelmente eu teria morrido numa máquina de tortura, rs
      Ninguém vai provar D'us nunca na vida. A ciência nunca vai provar isso. Sabe de onde veio a ciência? Sabe quem eram os únicos médicos cientistas na Idade Média? foram os judeus. E olhe que eu nem sou judia, apenas busco os fatos, a verdade e me questiono."

      Sim, a Inquisição já passou e novamente eu te pergunto, e daí? Vc parece desconhecer a interferência cristalina da religião no mundo secular, né? Vc acha que o fato de a Inquisição ter terminado resolveu tudo? Como te disse, vc vive em uma bolha...
      Provar deus? O que o ateísmo tem com isso, queridona? O ônus da prova recai em quem faz a assertiva. Eu não tenho que "provar" nada. Não afirmei nada. Quem faz afirmações é a religião. TODAS ELAS! Ah, os médicos eram judeus na idade média? Mais uma vez, e daí? O método científico foi desenvolvido pela filosofia, mas a filosofia por si só não resolve porra nenhuma. A filosofia medieval tão adorada por teístas, já caminhou e muito. Vá ler Karl Popper e suas observações sobre metafísica. Por favor, né? Tá passando muito longe, filhota...

      "Mesmo que falte pesquisa e argumento, acho que o fato de você discutir isso é mais relevante. Por que você se importa tando com a fé das pessoas? Você quer "catequizar" religiosos para a sua adoração à ciência? Olha o proselitismo hein, rsrs
      Desculpa, não me contive, rs"

      Não me importo com a fé das pessoas. Por mim elas podem rezar até para o Saci, isso é com elas. O problema é que essas pessoas usam sua fé como alavanca para as suas ações e influenciam a vida de quem não comunga da fé delas. Vide bancada evangélica. Vide o preconceito travestido de virtude, vide aviões atirados contra prédios, vide infibulações, vide a proibição de estudos com células tronco, vide a proibição do uso de camisinha na África, vide o estelionato cristalino propagado pelas igrejas de nosso país, posso continuar a noite inteira, mas como vc é fundamentalista (mas vai jurar que não é, como todo religioso), aposto que não liga para o que a fé faz com as pessoas, não é mesmo? É melhor fechar os olhos, é mais cômodo. Olha, tem que estudar sobre o que defende, não é assim não filhota...

      "Essas discussões rendem muito porque se trata de algo que não se discute: fé. A gente nunca vai chegar a uma verdade absoluta. A gente pode sim discutir atitudes de pessoas, religiosos, a atitude do papa e enfim. Mas nunca a fé de alguém. Se esse for teu objetivo, desista.
      Paz pra você!"

      Porra nenhuma! O fato de não se discutir é que nos colocou nessa merda em primeiro lugar. Fé se discute sim! O que é estúpido e interfere na vida dos outros precisa ser discutido. Vou terminar com uma frase do físico, ganhador do Prêmio Nobel, Steve Winberg, que ilustra bem a bobagem que vc disse no final (que aliás já ouvi antes de trocentos religiosos): "With or without religion, good people will do good things and bad people will do bad things. But for good people to do bad things that takes religion."
      E no dia em que os religiosos pararem de tentar enfiar a fé deles goela abaixo dos outros e principalmente das crianças, aí eu pararei de mostrar o quão estúpidas são suas crenças. Até lá, eu e mais outros tantos, estaremos aqui para isso. Afinal, como vc mesma disse, a Inquisição já acabou, somos livres para dizermos o que quisermos. Sem receio de tortura, fogueira e, pelo menos para mim, sem medo de punições eternas...
      Paz para vc também.

      Excluir
  6. Presenciamos a cultura do light, do pense por mim porque é difícil pensar. Se ofendem porque alguém quer fazê-las refletir sobre suas fraquezas, e no fim, quando são expostas descobrem que são parte de um sofisma, que nunca de verdade creram em alguma coisa. Sério, precisa de um ateu mandar um pseudocristão ler a bíblia? Que cristão de araque é esse... Você está no seu espaço e tem que escrever o que quer. Quem não concorda tem o direito de ler e sair, e se for discutir que seja com os argumentos que você exige. Se você pinta a sua casa de verde e alguém e não concorda, ela não pode simplesmente exigir que você pinte-a com a cor preferida dela, por que ela gosta de olhar a sua casa quando ela está passeando por ali e prefere que seja rosa... Democracia não é só você ter que me respeitar, é principalmente eu respeitar você no seu espaço. "Por favor Tati, quero que você só publique gatinhos fofinhos, pois você só está aqui para escrever o que eu quero ler..." puta merda, isso sim que é intolerância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Mas sabe o que é Andréia? É que durante muitos séculos os religiosos se acostumaram com a ideia de que democracia é a "ditadura da maioria", o que não poderia ser mais errado. Agora isso está mudando...no mundo inteiro. Não gostou, não leia. Se quiser argumentar que o faça de forma honesta intelectualmente. É simples.
      1 grande abç.

      Excluir
  7. Impressionante como alguns auto denominados não-religiosos pedem que todos tenham moderação quando criticamos a religião, pedem que sejamos tolerantes com todas elas. Como ser tolerante com algo que prega a intolerância e saúda a ignorância com tanto fervor? Não temos de ser tolerantes com algo pernicioso como religiões e dogmas. Temos de usar todas as formas ao nosso alcance para enfraquecer a religião cada vez mais. Temos de usar a razão para demonstrar o quão patéticas são as crenças em seres superiores ou sobrenaturalidade em geral.

    Um dos maiores problemas é que a maioria dos religiosos confunde críticas à religião com críticas pessoais. Ficam pessoalmente ofendidas quando a religião ou o deus delas é criticado, o que é completamente absurdo, e então começam a xingar e dizer que o autor da crítica é "recalcado", ou tem raiva de deus, ou é cheio de ódio no coração, etc. Argumento, que é bom, nada.

    Vivemos nessa cultura escrota do "isso não se discute", "aquilo não se discute". Como se alguns assuntos estivessem simplesmente acima do escopo da racionalidade. Vivemos nessa cultura hipócrita do "meio-termo", onde ninguém está completamente certo ou completamente errado. Volta e meia vem algum indivíduo dizer que ambos ateus e religiosos estão errados, e que não deveriam discutir jamais. Ora, tudo é discutível. Se não discutíssemos religiões e dogmas, ainda estaríamos queimando pessoas por heresia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Aleluia G-zuis", finalmente um comentário com coragem para dizer a verdade! Vc notou que nenhum comentário se referiu aos argumentos do texto em si? Foi só chorumela com papo de intolerância, isso quando não foram mentiras deslavadas ou desonestidade intelectual pura.
      Teve uma débil mental que ainda afirmou que Inquisição já acabou, para logo depois dizer que "fé" não se discute. O quão paradoxal é isso?
      Parabéns Sidnei. Vou subir um texto falando especificamente sobre "respeito", por conta de tantos comentários sem fundamentação. As pessoas precisam ler mais sobre o que comentam e te digo mais...a maioria sequer leu o texto inteiro. O religioso quando se depara com críticas às suas crenças, não costuma passar dos primeiros parágrafos. Mas eu entendo, sair da zona de conforto nem sempre é fácil...para alguns é melhor permanecer na ignorância. Foram doutrinados para isso. 1 abç.

      Excluir
    2. O que mais percebi nos comentários, além do típico mimimi dos religiosos, foi a sensibilidade exagerada presente em algumas pessoas. Que babaquice! Acham que todos têm de ser super educadinhos e amigáveis, e quando uma pessoa as responde de maneira direta, sem floreios e sem demagogia, acham que a pessoa está simplesmente tentando ofendê-las gratuitamente.

      Ninguém é obrigado a ser gentil com ninguém, e ninguém deve respeito a ninguém que não queira. Chega dessa masturbação social hipócrita que diz que temos de ser amigáveis com todo mundo. Isso que gera a falsidade entre as pessoas (essa mesma falsidade da qual queixam-se diariamente nas redes sociais com uma insistência infindável). Prefiro muito mais que as pessoas que não querem ser educadas comigo não o sejam do que fingirem ser educadas por mera convenção social. Odeio quando as pessoas ficam escondendo sua raiva e seu desdém através de palavras doces.

      A vida real é assim: algumas pessoas gostam de você, outras não. Algumas te tratam bem, outras não. Quem não consegue aceitar isso, que viva numa bolha trancado no quarto vendo xuxa só para baixinhos.

      Excluir
    3. Cara, CONCORDO 100% COM VC! É isso mesmo. Vai subir um texto falando exatamente sobre isso. Aguarde...

      Excluir
  8. Mas você quer ver Deus?
    Jamais conseguirá, assim como seu olho não pode se ver (apenas seu reflexo ou foto, que não é o olho real).
    Da mesma forma, você também é Deus, faz parte de Deus, e não pode vê-lo, visto que o É, em propriedade.
    É próprio do Ser ser Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me diz aí o que vc cheirou que também quero...

      Excluir
  9. Muito bom o texto (de novo).

    Eu por minha vez não acredito. Mas também não duvido...



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabrício. Eu não acredito e duvido muuuuuito, rs. 1 grande abç.

      Excluir
  10. Quando assisti a Maldição da Ignorância fiquei muito surpreso pela sua didática. Sou agnóstico e gostava muito da maneira como expressava o ateu, Christopher Hitchens, porem também gosto muito dos argumentos do cristão, Willian Lane Craig. O que me deixa um pouco confuso - embora os ateus convictos afirmarem que é mais honesto dizer que "não sabe, ou que a ciência ainda não pode comprovar" do que simplesmente dizer que é obra divina - com referência aos "mistérios" da vida: Por que algumas pessoas curam de câncer, aids, etc., e outras não? Por que uns sobrevivem aos grandes desastres e outros não? Por que uns nascem em berço de ouro e outros em uma cabana faminta de certo tribo africano?
    Não seria a "fé" que os religiosos pregam? A "reencarnação" que algumas religiões pregam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Yoshi, no que tange a Craig, é preciso que vc entenda que ele é um debatedor profissional. É conhecido muito mais pela capacidade de sua retórica do que pela pertinência de seus argumentos. Craig não tem objetivo de esclarecer nada, apenas de vencer o debate. Não existe apego intelectual honesto em seu discurso falacioso e embromatório. Ele é muito bom com as palavras e péssimo com argumentos. Repare que ele nunca fala por último. Sempre é o primeiro a discursar. Isso é EXIGÊNCIA pessoal para debater. Pq faz isso? Simples, para entupir o debate de falácias e conduzir a discussão para onde lhe interessa. O opositor é obrigado a gastar todo seu tempo rebatendo as esparrelas do tabaréu. Esqueça o Craig. Seus argumentos são conhecidos sacos de pancadas de ateus no mundo inteiro. Só quem nega isso são religiosos (principalmente católicos fundamentalistas) que apostam em enrolação teológica a fim de "empatar" um jogo perdido faz muito tempo.
      No que concerne às perguntas que formulou, deixando o pragmatismo de lado e para não responder coisas do tipo "pq um tem o um organismo com um sistema de defesa mais forte do que o outro", "pq seus pais eram ricos na América e o do outro pobres da África" (pq sei que não é a isso a que vc se refere), a resposta mais honesta é: não sabemos. Mas dito isso, é preciso deixar claro que não existe NENHUM indício, NENHUMA evidência, de que exista alguma explicação sobrenatural ou metafísica para isso. Quem te disser o contrário está mentindo. Coisas boas acontecem e coisas ruins também. Simples assim. A busca filosófica de um motivo atormenta a cabeça de muitos, mas não há razão para crer que uma divindade controle ou influencie a vida ou a morte de quaisquer ser. O sentido da vida é aquele que vc quiser dar a ela. Pode ser sua família, um esporte, música, seu trabalho e por aí vai. O importante é que vc viva plenamente a única vida que vc SABE que possui. Acredite, não existe nenhum bom motivo para se acreditar em deus. Em nenhum deus.
      1abç.

      Excluir
  11. Parabéns, Hpcharles.

    A pouco tempo comecei a questionar a existência de "deus" e percebi que quando se começa a questionar e pensar a respeito, nada faz sentido. É uma pena que os religiosos tenham preguiça de colocar o cérebro para funcionar.
    Só tenho a te agradecer pelos textos e por me ajudar a enxergar o que os religiosos não conseguem e nunca conseguirão.

    ResponderExcluir
  12. Esse é um dos melhores textos ateístas que já li. Está no nível de Christopher Hitchens. HP, já pensou em escrever um livro?

    ResponderExcluir
  13. Texto excelente! Assim como aquele outro texto sobre o assunto "Ateus revoltadinhos". Parabéns!

    ResponderExcluir

<< >>