Em Cartaz: A Rede Social (The Social Network) - 2010

Taí um filme que me surpreendeu – uma surpresa boa dessa vez. Muito boa, por sinal.

Quando eu vi o trailer do social Network, com aquele coral cantando Creep do Radiohead, fiquei mais interessada pela produção em si do que pelo enredo – o filme conta a história de como o Facebook foi criado. E? É isso. Nem a chamada “Não se faz 500 milhões de amigos sem fazer alguns inimigos” me chamou mjuita atenção. E ainda tem o Justin (o Timberlake) no elenco. (eu ainda não vi o Alpha Dog, todo mundo diz que o filme é bom e que o rapaz manda bem, masss... tinha lá minhas dúvidas)

Bom, então tá, o filme é isso – é a história de como o Facebook foi inventado.

Baseado na biografia do Mark Z , um dos criadores, dirigido pelo David Fincher (Seven, Zodiac, Fight club), com trilha sonora do Trent Reznor do Nine Inch Nails e o ator principal é o menino do A Lula e a Baleia, que eu adoro.

Começou a ficar bom, não é mesmo?

*Spolier alert, talvez*

A história é mais ou menos o seguinte: o cara quer fazer alguma coisa pra chamar a atenção de um dos final clubs (esses clubes exclusivos que as faculdades americanas costumam ter), leva o pé na bnunda da namorada e cria na mesma noite um site que compara 2 fotos de meninas do campus (Hot or not?), e o site tem recorde de acessos naquela mesma noite, derruba o servidor da faculdade e chama a atenção de todo mundo. Aí ele consegue o que queria – chamar a atenção dos caras de um dos clubes. Esses mesmos caras tem uma ideia de criar uma rede social pro pessoal da Harvard, chamam o Mark pora ajudar e ele meio que surrupia a idéia – na verdade o que ele faz é melhorar bastante a idéia dos caras e junto com um amigo rico que vai bancando as despezas do novo site (e que por sinal é brasileiro...) ele cria o The Facebook, que meio que instantaneamente se torna uma rede social gigante, primeiro dentro de Harvard e depois pras outras universidades e, enfim, hoje tem Facebook aqui em Diadema... Os caras do final club que tinham pedido ajuda pro Mark então resolvem processá-lo. Nisso, o cara que tinha inventado o Napster (o Sean não-sei-das-quantas, aqui o Justin T.) que está procurando o que fazer vê no The Facebook uma excelente oportuniudade de ganhar um dinheirinho, sugere pros dois a retirada do ‘The” do nome do site e passa a fazer o Facebook gerar dinheiro.

Assim, MUITO dinheiro.

Só que... o brasileiro não está muito a fim de trabalhar com o cara do Napster (que é folgado pra caramba, Já chega meio que mandando no negócio todo, enfim...) e aí as coisas começam a degringolar.

O filme tem aquela atmosfera de campus de universidade que eu particularmente adoro (de filmes como Sociedade dos Poetas Mortos – ok, não era faculdade, era colégio, mas você entendeu...), a direção/ edição prende muito a atenção, e quando acabou, quase 2 horas depois eu pensei “ué, mas já?”.

Excelente.

*****

Um comentário:

  1. Eeeee... vídeo no youtube sobre livros!!!
    LOVE IT!!!!!
    Bjo
    Carol Salem

    ResponderExcluir

<< >>