Ok, já entendi...

preciso parar de fazer videos de pijama pro youtuba.

(new year's resolution #1)

Filmes que eu já devia ter visto 3: All the King's Men (A Grande Ilusão) - 2006

Fazia tempo que eu não via um filme que eu tinha certeza que é sensacional e na verdade é incrivelmente decepcionante.

Tem coisa mais irritante do que esse Sean Penn político?
(bom, deve ter milhões, então melhor eu calar a boca...)

Do que se trata o filme: A história se passa em New Orleans. Aqui temos um político gente boa, que veio do povão, que mete o pau nos corruptos, que se elege com discursos para o proletariado/povo em geral.

E aí?

Uma vez governador o cara se torna aquilo que ele tanto repudiava - um belo FDP.

O filme  é narrado pelo personagem do Jude Law, um jornalista que acompanha o Sean Penn desde antes da eleição. Jude Law (não lembro os nomes das personagens...) é apaixonado pela Kate Winslet, irmã do Mark Ruffalo melhor amigo dele desde a infância.

Ela, pelo que eu entendi, porque o filme é confuso (tenho a impressão de que a edição deixou de fora algumas cenas importantes pra compreensão do espectador de cinema médio, sabe?) , é hoje uma das amantes do governador Sean Penn.

O pai do Jude Law (padrasto, na verdade), é um Athony Hopkins obcecado por armas.

e por que eu sei de tudo isso?

Vai saber!

tem MUITA informação inútil nesse filme.

All the King's Men é uma tentativa de filme noir ruim e me lembra um Brian de Palma muito ruim (e Brian de Palma é ruim, sempre... menos n'Os Intocáveis...)

Fiquei com a impressão de que o diretor desse filme tinha tudo pra fazer um filmão, mas errou a mão feio.

uma estrela, e olhe lá.

Filmes que eu já devia ter visto 2: 13 Going on 30 (De repente 30) -

Olá, filme fofo que eu nunca tinha visto antes porque eu sou PRECONCEITUOSA.

Filme com cara de chick flick dos anos 80.
Só não é mais legal do que os filmes dos anos 80 porque, oras, sei lá.

A historinha é sobre uma menina nerdona de 13 anos (nos anos 80, que fique bem claro...), que tem um melhor amigo igualmente nerdão e que é humilhada na própria festinha de aniversário pelas mean girls da escola.

Aí que, ela deseja muito fortíssimo ter 30 anos (pra ser "fun and flirty" e nunca mais ter que passar por aquilo tudo, e, adivinhemmmmmmm....

Ela acorda no dia seguinte, aos 30 anos de idade.

Claro.

Como não?

E aí que a versão 30-anos-de-praia é gata, chique, bem sucedida, é editora de uma revista de moda, anda de limousine, e é malvadona.

A graça toda do filme é que ela acorda aos 30 com a cabeça de 13, e percebe que se afastou da família e dos amigos, vurou malvadona pisando em cima dos outros pra conseguir o quer, e coisas do tipo, e resolve mudar tudo isso, agora, já!

Ela vai procurar o amigo-nerd, e, eis que ele é o Mark Ruffalo.

(agora, caso você tenha 13 anos e esteja lendo este blog ,deixa eu te avisar que as chances do teu amigo nerdão crescer e virar o Mark Ruffalo, são, assim, ZERO. Ficou claro? Ok, then...)

A coisa mais fofa de todas desse filme incrivelmente fofo é ela fazendo amizade com as adolescentes que moram no mesmo prédio ;)))  (* muitos sorrisos*)

Tá, tá, é cheinho de clichês, o cara tá pra casar, ela vai lá no dia do casamento dizer que ama o amigo-ex-nerdão, e, bom, o final.... ai, não pode mais contar o final....

enfim, veja o filmicho, tem muito torrent pra baixar, se passar na TV a cabo, deixa lá e veja, cer-te-za que tu vai gostar.

fui.

Filmes que eu já de a ter visto: Barton Fink - (Delírios de Holywood) - 1991


Adoro esse poster...

Considerações:

1 - A gente ama os irmãos Coen
2 - A gente ama o John Turturro
3 - A gente ama o John Goodman
4 - A gente ama mensagens subliminares
5 - A gente ama roteiros que não são óbvios
6 -  Ah, e gente ama o Mr. Pink, também...

Mas eu não consegui gostar do Barton Fink.

Eu sou bem fã dos irmãos Coen, mas nunca nem tinha ouvido falar desse filme.
Foi lançado praticamente há 20 anos atrás e é daqueles filmes cult, 

O filme é sobre um escritor de peças de teatro de Nova Iorque que é convidado para escrever roteiros de filmes B em Holywood - ele é contratado para escrever o roteiro de um filme sobre lutadores de boxe, veja bem...

Aí, ele se hospeda num hotel bem fulerinha e passa os dias no quarto com sua máquina de escrever (esqueci de dizer que o filme se passa nos anos 40....).

Ele conhece o vizinho estranho, mas aparentemente gente boa que o ajuda a ter umas idéias pro roteiro (ele tá sem inspiuração...)

O filme é lento.
As cenas são longas.
Faz muito calor e o papel de parede se desprende.
Tem um quadro na parede com uma foto duma moça bonita sentada na praia.
Eles deixam os sapatos do lado de fora do quarto pra serem engraxados.
ok, já deu pra entender que o filme é lento.

Aí que ele tá lá sem inspiração, as conversas com o vizinho esquisito nao estão ajudando muito a ter idéias pro roteiro, aí o agente dele (o Monk, esqueci o nome do ator...) dá a ele a idéia de conversar com um escritor bem sucedido.

Ele conhece então um escritor que é ídolo dele.
O escritor tem uma secretária esquisita.
O escritor é bêbado.
Em dado momento ele descobre que quem escreveu os ultimos livros (sucessos) do escritor foi na verdade a secretária.
Ele meio que se apaixona pela secretária.
Na primeira noite que eles passam juntos, ele acorda e a secretária está morta do lado dele.

TÃN- tãn - tãaaaaaaaaaaaaan....

Ele não lembra de ter matado a moça.
O vizinho esquisito o ajuda a se livrar do corpo.
O vizinho esquisito vende apólices de seguro contra fogo, e viaja muito.
Numa dessas viagens, o vizinho deixa com ele uma caixa.

(note a lentidão da coisa...)

Mas aí é que tá: o filme fica excelente, intrigante, depois que a moça morre.
passa-se um tempo , a polícia começa a investigar o vizinho esquisito e vai atrás do Barton.
ele fica então sabendo que o vizinho esquisito é na verdade um serial killer.
A partir daí, se dá o desfecho, e como tem sempre gente me xingando que eu sempre conto o final dos livros e filmes, neh, nem vou contar o fim, mas o que interessa é que ELE NUNCA ABRE A CAIXA!!!!!!!!!!!!!!!!

Eu NECESSITOOOOO saber o que tinha naquela caixa.....

o filme é bom.
eu acho que o hotel é o inferno.
eu acho que nada daquilo aconteceu e que ele tava só sonhando...
eu vou ter que ver esse filme de novo, e eu já fiz um milhão de buscas na internet pra descobrir o que tinha na caixa, mas, nem....

acho que eu nunca vou saber...


três estrelinhas, só porque eu não sei o que tem na caixa...




Então eu li A Última Música...

Ganhei de amigo secreto da minha aluna ;)

Mas nem por isso sou obrigada a amar muito o livro, certo?

Que bom, porque it was quite the opposite...

Receita de livros de NS: pegue um monte de clichês, diálogos melosos, alguém morrendo ousofrendo de uma doença terrível, seja Batista, e ouça All you need is love enquanto lê o ultimo capítulo. There you go!


Agora, quer se auto-flagelar?
assista ao filme!

Miley Cyrus É a adolescente mais chata de Holywood.
(e das atrises mais limitadas do mundo, devo dizer)

e... na boa... se você me vir numa livraria folheando algum livro do NS, pega o primeiro hardcover que aparecer e me dê uma livrada com força, sim?...

obrigada.

Quando estiar...

e São Paulo tá virando Macondo

(piada nerd literária que só eu entendo, ha ha ha. Sou tão engraçada...)

Lista de coisas que eu só vou fazer quando estiar 
(ou seja, nem vou fazer porque pelo jeito, não vai estiar nunca, hã? hã? pegou? rs...)

- vou me inscrever numa academia e ficar gostosa (craro...)
- vou fazer curso pra pessoas que teem medo de dirigir.
- vou comprar um carro.
- vou estudar muito francês e fazer todos os exercices atrasados
- vou terminar de ver finalmente o arquivo x (as 3 ultimas caixas ainda estáo no plastiquinho, veja bem...)
- só vou comer comida saudável
- vou pintar meu quarto de violeta.
- vou terminar de ler Ulisses (comprei no primeiro ano da faculdade, também conhecido como 2005, comecei e parei varias vezes , sempre na parte do "jesuíta execrável", também conhecida como metade da primeira página, e...afff..... vamos lá, desafio de fim de ano...

Os livros mais importantes da vidaaaaa.............

fiz videozitchos. ;)
e deu preguiça master de postar aqui a lista, entao, take your time, veja os videos ;)





coisas para fazer em Denver quando você está morto

ou,

Coisas para fazer em Diadema quando você está de férias:

(ah, sim, sem ordem de importancia)

- procurar apartamento pra morar de aluguel (chega de explorar meus pais. há limites.)
- ler. falta pouco pr'eu atingir minha meta de 24 livros em 2010
- escrever no blog. yay!
- fazer um milhão de videos pro youtube e deixar guardado pra ir uploadando um por semana (reserva pro começo do semestre que é sempre fueda e nunca dá tempo pro entretenimento nerd)
- fazer limpeza de pele e peeling. tiar a nhaca acumulada na minha cara ao longo do semestre.
- comer menos tranqueiras. porque, né.
- comer menos haagen dazs. (vou sofrer muto, vai ser dificil, mas vou ficar muito rica se eu parar de comprar haagen dazses...)
- ver todo mundo!!! tem gente que faz muito tempo que eu nao vejo!!! e ninguém tá com saudade de mim, mas eu tô, tá? rs
- ver todos os seriados atrasados (tou quase em dia com Grey`s Anatomy - ainda faltam House, Dexter, gossip girl (guilty pleasure!!!), In Treatment, True blood, e as bobagens novas tipo bored to death, vampire dieries, fringe, e otras cositas que eu ainda nao vi.
- ir ao dentista.
- entrar pra uma academia.
- colocar em dia minhas lióes de francês
- levar o cáo pra passear 3 vezes ao dia.
- fazer comprar de natal.
- embrulhar as compras de natal.
- entregar as compras de natal.
- fazer luzes nos cabelos
- trocar de oculos (tou com a receita h[a 3 meses... que vergonha...)
- responder todos os comentarios atrasados do tuba.
- organizar os armários e separar coisas para doação
- começar a escrever meu livro (que vai ser o sucesso de 2025...)
- deve ter mais coisas... :/

enfim, férias..............

gente,

eu tô de férias.

isto é incrível.

férias

FÉRIAS.

EU TÔDE FÉRIAS, MINHA GENTE!!!!

 e não são aquilo que 99,9% de escolas de idioma chama de férias, não, minha gente.
tou falando de 30 dias corridos.
REMUNERADOS.

tá dando pra entender a emoção da pessoa???

depois de 2 anos ralando, it all pays off.

porque, ó, na verdade as ferias começaram na ultima quarta feira (mas nem, né, porque tive o CAE paper based na quarta, quinta feira foi correria e teve francês, e na sexta, festa da firma, então, né, oficialmente falando, tou de férias, asasim, férias, de verdade merrrrmo, desde ontem.

*dá até uma lagriminha no canto do olho em saber que nos proximos 4 sábados ainda estarei dormindo o quanto eu quiser, tá????


porque a pessoa envelhece mais quando trabalha aos sabados.

mas a pessoa precisa trabalhar aos sabados.

a pessoa gosta de dinheiro,

de pagar contas em dia.

de ter opçao de entretenimento.

de viajar de vez em quando.

de comer e se vestir, sabe?

entáo o trabalho aos sabados se torna um mal necessário na vida da Tatiana.

necessário, e digo mais: indispensável.

então olha eu aqui abraçando com força meus sábados de trabalho e essa alegria que é estar de férias, ter 4 sabados de folga e achar que isso é a coisa mais legal do mundo ;)))

The Jane Austen Book Club

Jane Austen escreveu 6 livros.
Neste livro, 6 personagens são responsáveis cada um por uma das obras da JA em um clube do livro: 5 mulheres excelentes, sendo Bernadette a mais velha, viúva 3 vezes, sem filhos, e meio hippie; Jocelyn solteirona, desconfiada, sofreu abuso quando jovenzita e hoje prefere os cáes - tem um canil; Syvia, recem-divorciada e portanto, deprimida, máe da Alegra, a mais novinha do grupo, lésbica e praticante de esportes radicais, e a Prudie, professora de francês que nunca foi pra França, intelectual e a mais chatinha do grupo, casada com um cara que prefere ficar em casa vendo futebol e jogando videogame e se apaixona por um aluno. O sexto elemento é um homem - o Grigg.

O Grigg é um cara jovem, bem sucedido que gosta de ficção científica mas que acaba conhecendo a Jocelyn e ela o convida pra participar do book club, na verdade pensando que ele poderia distrair a sylvia, a que acabou de se divorciar.

deu pra entender?

O que acontece é que esse grupo acaba se reunindo durante periodos de tormenta em suas vidas para se ajudarem mutuamente com a desculpa da leitura dos livros da Jane Austen, que todas elas adoram e de quem o Grigg nunca tinha ouvido falar.

Eu fui obrigada a comprar alguns livros da Jane austen por causa desse livro, mas ainda não tive a oportunidade ;)

mas o que interessa é que esse é um livro-mulherzinha delicioso!
e muito mais inteligente do que a média - e deve ser por isso que nunca foi traduzido pro portugues e nem lançado no Brasil (enquanto porcarias como Marian Keys demoram 2 semanas pra serem lançadas aqui... tsc...).

e tem um filme baseado nesse livro que é igualmente delicioso!
O clube de leitura de Jane Austen, que tem no elenco uma menina do Lost que eu esqueci o nome e a Maria Bello, bem fiel ao livro ;))


Você pode baixar esse filme via torretz, aqui.

Enjoy ;)

Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévski

Raskolhnikov, um ex-estudante (teve que largar a faculdade, porque, né, não tinha dinheiro - Rússia no final do século 19 = lugarzinho miserável...) extremamente pobre e consciente de sua situação, inteligentíssimo e caridoso (dava tudo o que tinha pra ajudar os outros) resolve um belo dia matar uma vizinha da pensão, uma velha horrorosa em todos os sentidos que penhora objetos de valor, por que, né, vai até fazer um bem pra comunidade se matar a velha, e roubar todo o seu dinheiro. Está ele lá matando a velha a machadadas quando chega então a irmã da velha - aí a porca torce o rabo. Ele se vê alí naquela situação mal planejada, e durante o momento de lucidez em meio ao caos em que ele se encontra, resolve matar a irmã da velha, também. Pânico nas ruas de Londres, Rasko resolve pegar do apartamento da velha o que conseguir achar de valor (uma correntinha nojenta do pescoço da velha, um porta-níqueis que ele nem tem coragem de abrir pra ver o quanto tinha ali) e sai correndo. Enterra o produto do furto embaixo duma pedra num terreno baldio e volta pra casa se remoendo de um remorso que ele nunca admite sentir e a certeza de que o crime fora perfeito e que ninguém jamais descobriria nada.

O tempo passa, e o que se segue são inúmeras situações quotidianas como:
-  a volta do melhor amigo da faculdade, que ao ver o estado lastimável em que o amigo se encontra (à beira da loucura, delirante, febre o tempo todo, etc,etc...) resolve ficar por ali a ajudar o cara, mesmo o cara sendo muito arrogante, e dispensando a ajuda o tempo todo.

- o ex- funcionário público e agora bêbado que ele conhece num bar, conta sua história de vida tristíssima e raskolnikov passa a achar que precisa ajudar a familia do bêbado. Num dado momento o bebado morre, atropelado por uma carroça e a partir daí ele passa a tomar conta da família (viúva tuberculosa, filhos pequenos e mais uma filha prostituta do primeiro casamento do bebado por quem ele se apaixona mais tarde).

- a chegada inesperada da mae e da irmã para avisá-lo do casamento da irmã com um advogado que ele perdebe na hora não ser boa coisa  - ele faz de tudo pra que o advogado se afaste da irmã.

e enquanto isso, suspeitos sendo interrogados o tempo todos, chegam até a prender alguém pelo crime.

Apesar do sentimento de culpa que o corrói o tempo todo, ele não demonstra arrependimento - continua tendo certeza de que alguém precisava livrar o mundo da velha que ele passa a chamar de verme.

Ele conta o que fez pra prostituta filha do bêbado quando percebe que ela está apaixonada por ele numa tentativa de faze-la ver que ele é na verdade um monstro, mas isso não a afasta dele, pelo contrário.

a partir daí ele se convence de que precisa se entregar, pagar pelo que fez - se entrega à polícia e vai cumprir sua pena.

A sucessão de desgraças que compõem o livro, a tortura e o conflito interno do personagem principal, o castigo todo que na verdade não é a prisão mas sim os meses que a antecederam, toda a trma e mais os personagens que parecem palpáveis de tão humanos, me fazem ter vergonha pelos autores de hoje em dia. :/

O livro é dificil.

Os personagens tem  inúmeros apelidos (se pegarmos o personagem principal - o narrador se refere a ele como Raskolhnikov - a mãe como Rodion - a irmã, como Rodka - o melhor amigo como Rasko ou Rodka na maioria das vezes - outrsos de Rodion Romanovitch. - e isso acontece com todos os personagens. Pode ser um pouco confuso no inicio da leitura, mas a gente se acostuma.

Essa minha edição, de 1964, é uma tradução para o português a partir da tradução para o francês - como sabemos, os franceses gostam de dar uma floreada nas narrativas, mas acredito que isso só contribuiu para a beleza e o cuidado durante o storytelling.

eu tenho uma edição de 2005, traduzida direto do russo, mas ainda não li, vai ficar pro ano que vem.

MUITO AMOR!!

por que nem sempre...

quando será que Los Hermanos vão parar de ser banda chique que só abre pra banda chique ou que só participa de festival chique?

quero LH no Cine Vitória de novo...

:/

Sempre.

parece que finalmente...

feriado de 3 dias

porque no sábado ALGUÉM tem que trabalhar, senão o Brasil não vai pra frente, oras.

seriados, filmes, outback, leiturinhas, SWU, pessoas fofas... quaaaaase descansada.

quarta-feira trabalho de cão das 8 da manhã às 8 da noite, com direito a exame médico ocupacional
fora a lesson plan atrasada terminada antes de dormir.

quinta-feira, minha folga - e hoje estou me sentindo estranhamente descansada.
digo, estranhamente porque a pessoa não se sente descansada há, xô ver.... ah, faz tempo.

parece que finalmente tou preparada pra encarar o último bimestre ;)

isso sem contar que, yay!, esse fim de ano eu vou ter fééééériasssssssssss com muitos ssssssssss
depois de longos 2 anos, vou ter 30 dias de puro nadaprafazermaster 

ai,ai, de vez em quando a vida é boa....

;)

slogan do dia: tô di bôa.

Leituras atrasadas.

No começo de setembro eu percebi que eu só tinha lido 3 livros esse ano.

*pânico*

Eu não era assim.
Esse ano tá complicado, viu, vou lhes dizer.

Aí, em desespero total, peguei meu Crime & Castigo que estava pela metade e passei a carregá-lo no busão.
E vamos combinar que quem termina de Ler Crime & Castigo no busão pode terminar de ler qualquer coisa!

Bem, ânimo renovado com relação às leiturinhas, estou orgulhosa por comunicar queeeeeeeeeee -

Hoje é primeiro de Outubro e eu já terminei de ler 8 livros.

minha meta é, até 31/12 ter lido 24 livros - equivalentes a 2 livros por mes - o minimo aceitável para pessoas nerds como eu.

ainda tenho muitos livros que ainda nao li aqui em casa, e minha tia Alice não ajudou - um dos livros que eu li no começo do ano foi a biografia do Chico Xavier (e eu sempre mando os livros que eu termino de ler pra tia Alice) - e daí que ela acha que eu preciso ler mais livros espírita (mas, ahm, então, né, é só a biografia do cara, não é assim, um livro espírita per se, sá? )

Enfim, tia Alice mandou uma sacola de livros espiritas.

                                                   sacola enorme de livros espíritas


Tatiana e os livros espíritas.


Tudo começou quando eu nasci numa família meio católica e meio espírita ( dessas que frequentam centros espiritas bonitinhos de vez em quando, entram na fila de passe, e tudo o mais...).
Cresci ouvindo as histórias todas sobre reencarnação e etc.
Até aí, ok, acho muito mais legal ensinar pra criança que "olha, tá tudo bem, viu,  morreu não acaba tudo não, tá? mamáe e papai vao estar lá te esperando...", do que, morreu, tu vai ficar presa no caixão até o dia do juízo final.

Aí veio a habilidade de ler, e a pilha imensa de livros psicografados.

E aí vieram os Livros da Zíbia Gaspareto e sua ÚNICA e MESMA estória escrita de diversas formas diferentes com capas e títulos diferentes (tem sempre a história do senhor de escravos que era muito mal na ultima encarnação, espancava e maltratava os escravos, aí ele reencarna e vem como filho de alguma das escravas, paralítico, claro, pra pagar os pecados da encarnação anterior em que ele foi um fdp...)

Aí eu cansei dos livros espíritas.
tudo culpa da Zíbia.

Isso tudo e mais uma consciencia de que , mêo, não posso viver minha adolescencia me preocupando em ser boazinha o tempo todo só pra não nascer paralítica na proxima encarnação!

aí parei com o espiritismo.
parei com tudo na verdade, né.
e ainda não decidi o que vou fazer.

mas tá, tou lendo os librinhos novamente (minha tia teve o cuidado de não me mandar nada da Zíbia, só Chico), intercaladamente com librinhos escritos por pessoas de carne e osso.

oi, tudo bem?

comigo tá tudo bem, também.

mas meu teclado está me irritando.

No começo do ano fui obrigada a comprar um computador novo - o meu antiguinho morreu. Para todo o sempre.
Quando ele chegou, uns 2 meses marromenos depois do desastre seguido de encomenda (eu já estava me descabelando! como é que a pessoa moderna vive sem um computador em casa, me diz!?!?!), notei que faltavam algumas coisas básicas, do tipo, cabo pra conectar o monitor à CPU :/ - ainda bem que eu ainda não tinha doado o velhinho e usei o mesmo cabo do antigo. E o cabo da CPU pra tomada veio alienígena:

                                                                Leve-me ao seu lider.


Ok, o pai foi ao Carrefour e trouxe um adaptador e tudo ficou bem.
Brigada, pai!

Mas o teclado é irritante.

                                                    Teclado irritante.


Ele não é para brasileiros.
O que quero dizer com isso é que não tem Ç.
E todas as outras coisas que um teclado que não tem Ç não tem.
Aí você se pergunta: "Se não tem Ç, como é que você está teclando Ç?"
Porque eu sou esperta e fiquei muitas horas da minha vida fuçando no teclado pra achar atalhos que me permitissem encontrar o Ç.

Mas a ? se perdeu para sempre.
Pra conseguir uma ? eu preciso ficar a todo momento trocando a "lingua" do teclado pra English-British ( ou American, tanto faz, mas eu gosto mais de British English, então...)

em suma: eu não tenho Ç e meu teclado é irritante.


Bom dia ;)

cough, cough...

*passando o espanador*

oi

este é o meu blog.

desde 1998.

trocamos de endereço milhões de vezes.

se você chegou até aqui por causa do meu canal, sinto muito - este não é um blog sobre maquiagem.
(aliás, meu canal, não é um canal sobre maquiagem...)

hm...

bom dia 2

hoje acordei com muito medo de ficar sozinha.

pra sempre, digo.

meia hora depois, me pergunto se nao é melhor mesmo, ficar sozinha.

vou me decepcionar comigo mesma poucas vezes.
não vou fazer merdas comigo mesma que me deixarão marcas pra sempre, porque me conheço, sei o que me machucaria pra sempre, e auto-flagelo não é o nosso negócio...
nao farei comparações implícitas com outras pessoas - eu sei o que eu sou e do que eu gosto
nao vou me trair - me enganar - me trocar por outra - me fazer sentir um lixo

ficar sozinha = excelente negócio.

bom dia

hoje meu café com leite parecia frapuccino

fui fazer outro e nao ficou igual.

nunca fica.

O Jogo da Amarelinha, 1963, Julio Cortázar



Demorei muito pra ler este livro.
Queria lê-lo certo, e logo descobri que nem, não dava.
(e como é que "se lê certo"?)
Comecei a ler nas férias de 2007 pra 2008 - com um lápis do lado direito - caso quisesse sublinhar alguma passagem - e com o bloquinho amarelo de post- it s do lado esquerdo, caso quisesse marcar alguma página.

E aí que de repente, 50 páginas lidas e umas 70 passagens assinaladas mais umas 40 páginas marcadas.
Não dava pra continuar assim...

Daí que na volta, eu desisti do livro - tinha coisas mais desinteressantes pra fazer, livros mas urgentes pra ler, e ele ficou assim, abandonado, na pilha dos "por ler".

insisti muito pra que minha irmã o lesse desde o início desse ano - ela obedeceu, vencida pelo cansaço, no meio do ano e odiou muito o livro todo - mas não conseguiu parar de ler. terminou as 640 páginas, quis muito morrer, e me obrigou a lê-lo.

tive recesso, ainda não venceram minhas primeiras férias, mas pude aproveitar os 20 dias gordos pra completar a leitura.

Comecei do início - li as primeiras 50 páginas de novo, concordando com as primeiras anotaçoes que tinha feito anos antes.

Qause MORRI, mas consegui completar a leitura do bichinho hoje - amanhã volto ao trabalho - a pessoa é pontual, veja bem...

O livro não é ruim.
É excelente.
Mas demanda uma atenção, uma paciencia, um sei-lá-o-quê...

(acabei concordando com a irmã - depois deste livro, ler Ulysses vai ser fichinha. A gente já tentou ler o Ulysses antes...)

notas:
1) O livro escrito originalmente em sua maior parte em espanhol, aqui transita entre o português, o inglês e o francês. Preciso dizer que 65% das passagens em francês, a gente que é semi-leiga na língua puxa o significado pelo contexto, e faz de conta que entendeu tudim.
2) As passagens em russo e em italiano a gente disfarça, assovia, e pula pra próxima linha em português (espanhol)
3) O livro não tem uma ordem certa pra ser seguido - Logo no prefácio o autor já avisa que o livro é muitos, e vc meio que escolhe de que forma quer ler - conheci pessoa X que dizia que folheava o livroi de olhos fechados, e parava o dedão numa página qualquer - pronto! esse é o capítulo do dia.
O proprío Cortázar diz lá, no tal prefácio que vc pode ler o librinho de cabo a rabo (como toda leitora-fêmea o preferiria fazer segundo o próprio, e como eu, na condição de fêmea (mulé) que sou, preferi fazer), ou seguindo uma ordem de capítulos sugerida pelo autor - só que, veja bem, ao seguir essa segunda forma, váááários capitulos ficariam de fora.

Como eu li o bichinho de cabo a rabo, segui a ordem natural da coisa (enquanto objeto, veja bem, pq o livro não tem ordem - e procurar a ordem é perda de tempo, sem contar que cê vai cansar... ah, vai...) notei que o livro é dividido em 3 partes -
a) Do lado de lá (onde ele conta os acontecidos em Paris...)
b) Do lado de cá (acontecidos quando da volta do personagem principal pra Argentina, a procura da Maga...)
c) De outros lados (... então... esta parte tem o subtítulo de "Capítulos Prescindíveis"... tem recortes de leituras aleatórias do autor/personagem principal - recortes de revistas, notas de jornais, trechos de notícias pertinentes dos anos 50, época onde se passa/m a/as história/s... e passagens com trechos da obra de um suposto autor X que nem me interesso em saber se existiu (deve ser um alter-ego do JC...)

A parte c é a mais fácil de ser lidas.
capítulos curtíssimos.

não vou mentir: não sei se entendi o livro.

não sei se sei o que aconteceu com a Maga.
acho que ela se afogou, quando da morte do bebê.
não sei se o que aconteceu com o Holiveira aconteceu mesmo - ou se ele foi parar no ho´spício porque, bem, ele enlouqueceu quando da morte da Maga.

não sei.

e não sei se quero reler o livro.

não sei se estou fiz as perguntas certas - se é realmente importante saber o que eu não sei se entendi.
e não sei se entendi o papel do jogo da amarelinha na vida dos personagens - o jogo sempre aparece em momentos decisivos; é também um personagem. e tem aquela coisa toda de ser um jogo de sorte, de se jogar a pedrinha no lugar certo, de se pular da forma certa pra chegar ao céu.

4) o capítulo 34, traz um texto misturado - é ná verdade a mistura de 2 textos bem distintos: uma memória sobre os tios do Holiveira/Orácio e uma carta do prórpio para a Maga, ora se despeindo e se desculpando, ora avisando que sairia por aí a procura dela. sou bem lerda, demorei um tempo pra descobrir que o capítulo 34 era dois, que deveria lê-lo pulando linha 2 vezes... mas deu tudo certo no final ;)

5)História da minha vida:
"Oliveira é patologicamente sensível à imposição de tudo aquilo que o rodeia, do mundo em que vive, do que lhe foi destinado, para dizer da maneira mais gentil. Em resumo, é despedaçado pelas circunstâncias. Ainda mais resumidamente, o mundo o incomoda."

Oi, prazer. Meu nome é Oliveira ;)
<< >>